quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Escolha da Pureza - Jennie Lucas

Título Original:
The Virgin´s Choice
Copyright © 2010 by Jennie Lucas

Protagonistas:
Xerxes Novros e Rose Linden

Sinopse:

Se algum dos presentes souber de algo que possa impedir essa união, que fale agora... 

Xerxes Novros estava disposto a fazer mais do que apenas declarar seus motivos para não deixar Rose se casar... Ele iria roubar a noiva e levá-la para sua ilha particular na Grécia! Raptada por um estranho sombrio e implacável, Rose não tinha escolha Xerxes estava certo de seu objetivo: teriam juntos a noite de núpcias que lhe fora negada...



Resenha:

Então, eu gostei do livro, mas sinceramente, não consegui dar mais de três estrelinhas para ele. Fiquei ressentida com o fato do Xerxes ter realmente trocado a Rose no final, sem se preocupar com o perigo que ela poderia estar correndo. Isso, não consegui desculpar, apesar de ele ter se transformado em alguém muito fofo. Um homem que não tem medo de seus sentimentos, mas mt agarrado a palavra dada, o que é louvável. As vezes. O modo como ele passa a desejá-la e respeitá-la é bem lindo. Mas, não sei, no final, ele poderia ter pelo menos, mandado alguém segui-los, para ter certeza de que ela chegaria segura em casa. Não dava para confiar no cafajeste do ex dela. Isso, me deixou um gostinho de decepção no final. Também não entendi o fato de ele ter dado dinheiro a ela, quando a mandou embora. Pareceu que ele tentou compensá-la pelo caso deles. Sei lá. Mas a história é envolvente e bem sensual.

Rose é sequestrada por um homem misterioso no dia de seu casamneto. Esse homem é Xerxes, mas ele não quer dinheiro, ele quer a esposa de seu marido, que está desaparecida. No "cativeiro" - uma ilha grega - ela descobre que seu casamento não passou de uma farsa e que seu raptor é muito melhor do que ela imaginava. Alguém por quem ela começa a sentir um intenso desejo de se entregar pela primeira vez. Créditos para a sensualidade exalante pelos poros de Xerxes Novros.


Ponto Alto:

Ele a guiou da cozinha até e sala ampla e a sentou gentilmente no sofá. Voltando à cozinha, ele retornou com uma bandeja. Ela observou quando ele colocou framboesas frescas em uma taça de cristal. Abrindo uma garrafa de champanhe cara, ele serviu sobre as framboesas, então entregou a taça a ela, observando-a com seus olhos escuros inescrutáveis.

O que é isso? ela sussurrou.
Estou me redimindo com você.
O quê?
Quando Rose não pegou a taça, Xerxes a pressionou contra sua mão, envolvendo os dedos dela com os seus. Ela mal conseguia respirar enquanto o encarava, sentindo a mão enorme envolvendo a sua tão pequenina. Ele disse em voz baixa:
Vou compensar esta noite o que fiz a você.
C-como? ela gaguejou.
Ele deu um passo para trás, o olhar ainda pairando intensamente sobre a figura dela. Sentiu o estômago revirar e bebeu nervosamente o restante da deliciosa infusão de champanhe com framboesas. Mas o mal-estar apenas aumentava. Xerxes reabasteceu a taça dela silenciosamente, com uma promessa sensual em seu olhar sombrio.
Então ele a deixou, indo para o banheiro adjacente de mármore branco, com sua banheira para duas pessoas com vista para o mar sob a luz da lua. Ele abriu a torneira, iniciando um banho quente e fumegante, preenchendo-o com espuma de banho perfumada.

Lentamente, Rose desamarrou o sutiã do biquíni e jogou no chão. Então desamarrou a parte de baixo e chutou para longe. Entrando nua na banheira, afundou sob a espuma branca perfumada. Fechado os olhos, prendendo a respiração, deslizou para baixo d'água.

Quando emergiu um instante depois, o cabelo ensopado, se sentiu renascida.
Xerxes estava agora perto da banheira, olhando para ela. Seguindo os olhos dele, ela viu a água escorrer entre os seios, viu os próprios mamilos rosados excitados. Ficaram rijos sob o olhar dele.
Ofegando, ela afundou na água, cobrindo o corpo com bolhas brancas espessas.
Você disse que ia virar para o outro lado! ela protestou.
Ele deu uma risadinha.
Eu nunca disse que não me viraria de volta. Ele sentou-se à beira da banheira enorme e olhou para ela. - Você é tão linda ele sussurrou, percorrendo a mão pelo ombro nu, visível por sobre as bolhas. A mulher mais magnífica que eu já vi.
Ela corou.
Você só está embriagado por causa do champanhe.
Eu não tomei champanhe.
Ela piscou, encarando a garrafa quase vazia perto da banheira. Quem bebera tudo aquilo então? Pelo modo como o corpo dela estava prazerosamente separado do cérebro, a resposta era aparentemente clara. Ela meneou a cabeça.
Você... está tentando...
O quê?
Me embriagar? ela deixou escapar. A boca sensual dele sorriu.
Por que eu faria isso?
Eu não sei ela disse. Diga-me você.
Ele acariciou o cabelo loiro molhado que se curvava sobre a clavícula. Ela olhou para ele, sem fôlego, o pescoço inclinando para trás. Ele se inclinou sobre ela, os lábios a centímetros dos dela. A boca de Rose foi em direção à dele, querendo que ele a beijasse. Desejando que ele a beijasse.
Vire-se ele pediu, e sem pensar ela obedeceu, virando o rosto em direção à janela.
Ela sentiu as mãos dele caírem pesadamente em seus ombros nus. Ele começou a esfregar em círculos os músculos do pescoço e ombros, lentamente. Ela fechou os olhos. Era uma bênção. Era o paraíso. Era...
Perigoso.
Ela abriu os olhos. Conforme ele continuava a massagear o pescoço e os ombros sensualmente, ela olhava para a janela com olhos arregalados. No silêncio, via as silhuetas esguias das palmeiras dançando em frente às nuvens brancas iluminadas pela lua, via as estrelas cultuando na noite.
Sentia o prazer intenso por causa do toque dele. Sentia a força dele. Sentia o poder dele.
Quando ele se inclinou sobre ela, ela sentiu o hálito dele contra a curva do pescoço, então os lábios dele roçaram a carne suave do lóbulo da orelha.
Eu quero você. O sussurro dos lábios dele contra a pele causaram um arrepio de fogo no corpo dela. E pretendo fazer tudo que puder para ganhar você.


Uma vez você disse que tudo e todos poderiam ser comprados ela falou.

Sim.
Então por que você simplesmente não paga a Lars, não permite que ele fique com a fortuna de Laetitia?
Recompensá-lo pelo que ele fez a ela? ele quis saber furiosamente. Permitir que ele lucre por quase matá-la?
Os olhos dela encontraram os dele.
Seria a coisa mais fácil a se fazer.
Eu não ligo para o mais fácil. Eu ligo para o certo. Ele não vai receber um único tostão de mim. Nunca ele soltou.
Exatamente como pensei ela disse com um sorriso trêmulo. Um homem de princípios. Mas tem um probleminha.
E qual seria?
Ela suspirou profundamente.
E se Lars mudar de ideia sobre desistir de tudo por mim?
Xerxes esticou a mão para acariciar o rosto dela.
Ele não vai. Um homem faria qualquer coisa para possuir uma mulher como você ele sussurrou. Ele trairia a própria alma.
Ela segurou o fôlego.
Ele começou a se inclinar em direção a ela. Então se deteve, fechando os punhos. Abruptamente, ele ficou de pé.
Preciso ir.
Ela lhe agarrou o braço.
Fique ela disse, olhando para ele.
Se eu ficarele disse em voz baixa. Vou beijar você. .
Eu sei.
Ele olhou para ela asperamente.
Você sabe o que você está me pedindo?
Sim. Ela olhou para ele, os olhos cor de turquesa repletos de luz enquanto ela sussurrava. Eu quero que você me beije.


Classificação:








2 comentários:

PP disse...

oiiii.
estava passeando na blogosfera e achei seu blog; adorei!
o tema e as postagens são diferentássos!!!
ah, vc pode votar em mim num concurso que estou participando? aqui:
http://www.topblog.com.br/2012/index.php?pg=busca&c_b=33137813
mt obg viu? sua ajuda é demais!!! X3

k-rol disse...

Oi tudo bem?
concordo com vc que realmente foi o Ó do borogodó qndo o Xerxes no fim das contas trocou a Rose...mas nem por isso a história deixou de ser muito boa!
xerim

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...