domingo, 5 de fevereiro de 2012

Desejo Arrebatador - Lynne Graham

Título Original:
The Italian´s Billionaire Pregnant Bride
Copyright © 2008 by Lynne Graham

Protagonistas:
Sergio Torrente e Kathy Galvin

Sinopse:

A ingênua Kathy Galvin trabalha noite e dia para esquecer um trauma do passado. Até o momento em que é seduzida por seu patrão incrivelmente charmoso e rico, Sérgio Torrente. Mas as horas de paixão trouxeram um resultado: Kathy está grávida! E não demora muito para ele descobrir toda a verdade... sobre o passado dela e sobre o bebê. Sérgio fará de tudo para acompanhar o crescimento e a educação de seu herdeiro... até mesmo casar-se com Kathy!



Resenha:


O último desta trilogia - Ricos, Ousados e Sensuais - e o primeiro deles que estou resenhando, pra variar, né? Adorei o livro. Adorei o fato da mocinha ser uma ex-presidiária, que apesar de ser inocente, cumpriu uma pena de três anos. Adorei o fato de ela trabalhar como faxineira e ele descer do alto de seu pedestal para se envolver com ela. Recomendo!

Kathy, apesar de inteligente e bonita, trabalha como garçonete num bar e faxineira noturna num prédio de propriedade de Sergio Torrente. Por curiosidade, acaba mexendo no tabuleiro de xadrez de uma das sala e os dois começam a jogar, sem realmente se verem. Uma noite, ao requisitar os serviços dela, para limpar algo que ele havia derrubado, ele repara em como ela é belíssima, e claro que, ele, em sua arrogância suprema, acha que uma mulher tão bonita não deve ser realmente umA faxineira e sim, uma mulher disfarçada para se aproximar dele e fisgá-lo. ¬¬ Ninguém merece. Ao mesmo tempo, ele descobre que é Kathy quem faz as jogadas oponentes e fica ainda mais intrigado. Ao desfiá-la para terminar a partida, a atração chega ao auge e os dois acabam passando a noite juntos. Kathy engravida, mas nem tudo é tão simples. O passado de Kathy é um obstáculo, assim como a arrogância de Sergio. Adoro o modo como a Kathy o enfrenta e o modo como ele acha isso absurdo. Adoro o fato de Kathy jogar na cara dele o tempo todo, a despedida de solteiro que ele promoveu para o Leonidas no iate dele E a vingança da Maribel para isso. Créditos para Kathy, Maribel e também para Sergio, tadinho. Apesar de cabeça dura, ele é fofo.

Pontos Altos:

Naquela noite, uma babá alegre que Kathy escolhe­ra de uma pequena lista chegou para ajudar com Ella. No dia seguinte, elas partiram para o aeroporto, onde encontraram Bridget e Nola. Dez minutos depois, o telefone de Kathy tocou.
— Eu sei que você está se divertindo — murmurou Sérgio.
— Mandou sua equipe de segurança me espionar?
— Não é necessário, delizia mia. Posso ouvir as risadinhas de onde estou e parece uma festa de mulheres.
— Onde você está... — Kathy olhou ao redor e o viu falando ao telefone a cinqüenta metros de distân­cia. — Eu não sabia que você estava aqui...
—Não se aproxime. Ignore-me — disse ele quando ela começou a se levantar do banco. — Vamos viajar separadamente. Você voará para a Itália em um jato Pallis para manter os paparazzi longe.
—  Seu amigo Leonidas levará homens seminus para alegrar o nosso vôo? — provocou Kathy. — Tal­vez eu queira me divertir mais em minhas últimas ho­ras como solteira.
Do outro lado da multidão, Sérgio fez uma careta.
— Você nunca vai me deixar esquecer aquela festa do iate, vai? — Sem esperar resposta, acrescentou: — A propósito, seja gentil com Leonidas. Ele e a esposa serão os anfitriões de nossa festa de casamento...

***

Quando o jato pousou em Tuscany, Ella e a babá fo­ram levadas para a casa de campo de Pallis, enquanto Kathy e suas companheiras foram fazer compras no esplendor medieval de Florença. Lá, Kathy finalmen­te usou os cartões de crédito que Sérgio lhe dera, e o passeio pelas butiques exclusivas foi muito divertido. Logo ficou claro que a noite fora um evento planejado que apenas requererá a sua aprovação. As cinco mu­lheres se dirigiram para uma suíte luxuosa de hotel a fim de trocarem de roupas e saírem para jantar com estilo.
Maribel tirou uma foto de Kathy com o celular. O novo vestido azul-turquesa fazia maravilhas por seu tom de pele e pernas longas.
— Uma para o álbum, acho.
Cinco minutos após a foto, o celular de Kathy to­cou. Era Sérgio.
—  Não pude acreditar quando Ella chegou sem você. Onde está?
—- Apreciando um jantar. Estou tendo uma despe­dida de solteira — acrescentou ela propositadamente.
— Não sei o que Maribel e Tilda estão aprontando, mas uma despedida de solteira tão perto do nosso ca­samento é um evento inapropriado —- censurou ele.
Enrubescendo, Kathy pediu licença para as amigas e se afastou para uma área mais privada, de modo que não fosse ouvida.
— Acho que não pedi sua opinião!
—- Mesmo assim quero oferecer. Você deve estar exausta. Acabou de se recuperar do parto. Diga-me onde está que irei buscá-la.
— Esqueça! Essa não seria uma ótima maneira de agradecer a Maribel pela gentileza de organizar o en­tretenimento para mim?
—  Foi por isso que Maribel me enviou uma foto sua num vestido muito curto? E me disse para não es­perá-la porque vocês vão a uma boate? — questionou Sérgio, irritado. — Aposto que isso é uma vingança pela festa de solteiro que organizei para Leonidas...
— Bem, mesmo se for, pode estar certo de que fa­remos algo mais divertido e inteligente do que nos embriagarmos no meio de dançarinos seminus! Sabe por quê? — acrescentou antes de desligar o telefone. — Nós temos mais classe e imaginação.
Enquanto Kathy voltava para a mesa no restauran­te, o celular vibrou e ela o desligou, guardando-o na bolsa. Ele era muito mandão.

***

— Grazia vai para onde o dinheiro está, e no minu­to em que Abramo perdeu o dele, ele virou passado. Ele sabe disso tanto quanto eu, e creio que agora su­perou os sentimentos por Grazia. Que tipo de mulher abandona o marido quando ele está doente?
— Uma mulher cruel... O tipo de mulher que achei que você admirasse.
— Mas ela nunca ganhou de mim no xadrez, delizia mia. Nunca me disse que não posso escalar o monte Everest porque é muito perigoso, e tem medo de me perder. A propósito, fiz isso alguns dias atrás. Acho que foi uma felicidade ter passado por certas experiências antes de conhecer você, porque há uma longa lista de esportes radicais que a deixam muito ansiosa, não há?
Kathy enrubesceu, não imaginando que o medo que tinha de perdê-lo fosse tão óbvio. Sérgio olhou-a com ternura e lhe pegou as mãos.
— Grazia teria me encorajado a arriscar nos espor­tes radicais porque teria preferido ser uma viúva feliz a ser esposa. Como pôde pensar que eu a queria de volta depois de conhecer você?
— Nosso relacionamento simplesmente aconteceu. Nada foi planejado... Especialmente Ella. — A voz de Kathy era trêmula. — Mas você escolheu Grazia. Quis se casar com ela.
Ele suspirou com arrependimento.
—  Eu tinha 21 anos e Grazia era um troféu que meus amigos invejavam. Eu a amei, mas era um garo­to. Agora sou um homem e tenho uma visão diferente do que quero em uma esposa. Mas até que a conheci, eu não sabia o que queria...
— Tudo que você queria era sexo — disse Kathy.
—  Isso pode ter sido verdade no princípio, mas você me ensinou a querer outras coisas que eu nem mesmo sabia que precisava.
— Como o quê? — incentivou ela.
— Coisas comuns como rir, trocar opiniões hones­tas, discutir...
— Você acha que precisa de alguém para discutir?
—  Oposição é bom às vezes. E diálogos que não se resumem em jóias, roupas e dietas são muito bem-vindos, amata mia. É claro, não dei devido valor a você até que desapareceu por sete meses e meio, e descobri como era sentir sua falta.
Kathy estava encantada com a sinceridade que po­dia sentir nas palavras dele.
— Você sentiu minha falta?
— E era tarde demais. Você tinha desaparecido.
— Achei que um afastamento temporário era a me­lhor solução para nós.
—  O conhecimento de que cheguei tão perto de perdê-la ainda me persegue. Aquela festa no iate foi um desastre. Não — murmurou Sérgio quando ela ti­rou as mãos das dele. — Você precisa me deixar falar sobre isso.
Kathy deu um passo atrás.
— Não, é melhor esquecermos isso. Foi antes de nos casarmos e não era da minha conta.
Sérgio se aproximou e tirou-lhe os pés do chão.
— Você diz isso, mas joga o acontecimento no meu rosto na primeira oportunidade!
— Quando foi a última vez que fiz isso?
— Eu vi a expressão de crítica no seu rosto quando entrou neste iate pela primeira vez...
—  Talvez sua consciência o tenha feito imaginar isso. Pelo amor de Deus, me ponha no chão!
—  Não. Nem mesmo fiquei bêbado naquele cru­zeiro. Nem mesmo beijei ninguém — declarou ele. — Você estava na minha cabeça o tempo todo. Você era a única mulher que eu queria.
Abalada por aquela confissão, Kathy o deixou car­regá-la para a cabine.
— Eu não gostava muito de você então.
Sérgio a deitou gentilmente na cama.
— Eu sei, e era o que eu merecia. Mas nunca mais será assim com você, porque eu a amo. Mesmo se você fosse ladra, ainda estaríamos casados e eu ainda me sentiria da mesma maneira.
Ela estava perplexa pela emoção que via estampada no rosto dele.
— Você se apaixonou por mim?

Classificação:







4 comentários:

marla disse...

Pra mim, e o melhor romance da série.
*bye*

Louca por Romances

Suelen Mattos disse...

Puxa,confesso que fiquei com os dois pés atrás com essa autora depois de ler "Lembranças De Uma Paixão". Foi o primeiro livro dela que li, e não gostei não, rs....
Mas esse livro aí parece ser bem interessante..... Será que tenho coragem de encarar outro livro dela? Hehehe!!!!

k-rol disse...

o que eu mais gostei nessa história foi a superioridade da mocinha em pelo menos uma coisa: no xadrez... pena que ela não mostra inteligência nas horas em que o herói esculacha ela... de novo fazer o que se é um livro da LG ?!
XERU

Nathal Sant disse...

Oi Lu, estava sumida por falta total de tempo, mas agora voltei e estou visitando as amigas. eu já liesse livro, gostei muito, mas ele realmente me dá vontade de encher de porrada, caramba, que cara abestado...kkkkk, mas é tudo de bom, aí a gente perdoa...kkkkkkkkk
Beijo linda.
Ca
http://mromances.blogspot.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...