domingo, 4 de novembro de 2012

Herdeira do Despertar - Margaret Way

Título Original:
Olivia's Awakening
Copyright © 2010 by Harlequin Books S.A.

Protagonistas:
Clint McAlpine e Olivia Balfour

Sinopse:

Você quer que eu seja sua empregada? 

Devido ao escândalo que resultara em manchetes, Olivia Balfour fora enviada para um lugar bem distante. Apesar de sua postura extremamente refinada, ela teria de trabalhar para Clint McAlpine, um barão do gado destemido e indomável, em sua fazenda na Austrália. Olivia ficou chocada quando ele determinou que ela deveria estar inteiramente ao seu dispor. Clint queria arrancar a máscara de refinamento de Olivia, mas para conseguir isso sob o forte sol australiano, ele teria apenas de abrir cada botão do vestido dela...



Resenha:

QUE-LIVRO-CHATO! Serinhooooooo! Pelo amor de Deussss! A série teve uns altos e baixos, verdade, mas encerrou beeeem no baixo! O livro mais pareceu um Globo Repórter descrevendo o interior australiano do que um Romance!!! O casal vai se juntar quase no fim e enquanto isso? Nada! Só descrição da selva! Arggghh! Logo eu, que odeio descrições exageradas nos romances. Além do mais, achei a Olivia, uma chata! A mais chata das irmãs! E a Bessie? Que não apareceu mais? E apesar de amar epílogos, achei que o dessa serie deixou a desejar, pois me pareceu meio confuso, com a ordem cronológica meio embaralhada. Poderia te sido melhor! Para esta história, dou zero, para a série completa, dou 7, pois houveram livros muito bons. Ah! E adorei o papai Oscar! hahaha.

Olivia, a mais velha das irmãs Balfour, é mandada para Austrália para repensar sua vida, dpois do escândalo do último baile beneficente Balfour. Ela é enviada paa a fazenda do filho de uma amigo de seu pai. Ele é rude, ela é cheia de não-me-toques. Poderia ter sido um bom livro. Não foi!


 *** Série Noivas Balfour ***

8-    Herdeira do Despertar- Margaret Way


Ponto Alto:

Singapura era perto.
Ele era conhecido ali.
—A srta. Balfour deixou o hotel há cerca de uma hora, sr. McAlpine — informou o recepcionista do mundialmente famoso Hotel Raffles.
— Acho que foi fazer compras.
Compras? Sentiu uma turbulenta onda de tristeza afogar a raiva. Quando ele chegara, Kath, perturbada, o informara da partida de Olivia. Precisou lutar contra a vontade de acabar com sua ingenuidade atirando-se de um penhasco. Aquela era a mulher que ele julgava ter a alma pura. Ser absolutamente verdadeira. Ou assim julgara, pobre idiota.
Ele a deixara entrar em sua vida. Baixara totalmente a guarda. Não passava de outra Marigole. Acreditara que podia confiar a vida a Olivia. Não era ela a mulher que mergulhara para salvar Georgy das águas infestadas de crocodilos sem pensar na própria segurança? Uma mulher dessas poderia fingir amor? Não lhe parecia possível. A não ser que fosse esquizofrênica.
Agira covardemente; não deixara sequer um bilhete.
Aquela não era ela. Não a Olivia que aprendera a conhecer e a amar.
— Uma joia rara num instante e, no seguinte, empacota as coisas e vai em frente! — O rosto pálido de Kath espelhava o seu choque. — Não me disse nada, mas me deu um beijo ao se despedir como se me amasse. Eu não entendi nada, Clint!
E ele por acaso deveria entender?
Sentou-se na recepção, preparado para esperar o tempo necessário. Se ela achava que ia embora sem uma explicação, enganava-se redondamente. Tinha sido fácil rastrear os seus passos.
Quarenta minutos depois, lá estava ela. O cabelo preso, um bonito vestido de verão, cinto turquesa na cintura fina. Não carregava nenhuma sacola de compras. Deixou que passasse, movendo-se graciosamente como uma flor de caule alto até o saguão dos elevadores. Então, ágil como um felino, deu o bote, agarrando-a com força pelo braço.
— Senhorita Balfour, que surpresa!
Ele achou que ela fosse desmaiar. Apoiou-a enquanto ela respirava fundo.
— Clint, o que está fazendo aqui? — Não conseguia disfarçar o choque. Ela não parecia bem e ele sentiu uma pontada de temor. Estaria doente? Sob os lindos olhos azuis, marcas de olheiras.
— Eu quero saber o que você está fazendo aqui. Não, espere até chegarmos ao seu quarto. Eu posso ter vontade de estrangulá-la, mas não ficaria bem no vestíbulo do Raffles.
Com a porta do quarto fechada, a silhueta alta e amedrontadora avançou sobre ela.
— Certo. Quem está enlouquecendo: eu ou você? Quando saí, há dois dias, falamos de casamento. O que aconteceu desde então? Por que pegou o voo e fugiu? Céus, Olivia, eu poderia matar você.
Ele parecia zangado.
— E por que não mata? — Estando até então no piloto automático, emoções fortes percorreram lhe o corpo. — Você é um mentiroso, um traidor.
Apesar de tudo você o ama.
Os olhos faiscaram de ódio. Ele parecia alarmado.
— Cuidado com o que diz! — avisou.
— Você não pode negar. — Ela pegou a bolsa. Lágrimas brotaram em seus olhos, mas não lhe daria a satisfação de vê-las escorrerem. — Como pôde, Clint? Eu confiei em você! Você se tornou o meu mundo. Mas você é um monstro mentiroso, como todos os outros homens.
Os músculos do corpo vigoroso ficaram tensos.
— De que diabos está falando? — Estava prestes a perder a paciência.
—Aqui. Leia o e-mail de Georgy. — Estendeu o papel amassado. Ele o segurou, percorreu-o com os olhos em um segundo e ergueu a cabeça.
— Pelo amor de Deus, isso é pura besteira. — Parecia profundamente desapontado. — Não é de Georgy.
— Mais mentiras? De quem é, então? — Pegou uma almofada e a atirou nele, a linguagem corporal delirante, fora de sua compreensão. Ainda amava aquele homem, apesar do modo como agira. Não fazia sentido. Mas o amor não tinha lógica.
Mas ele veio atrás de você. Por quê?


Classificação:







Um comentário:

Profª Lourdes disse...


Boa tarde Luciana!! Vim agradecer sua vista e por sempre da vida ao meu blog, deixando lindos comentários. Saiba que sempre que te vejo no meu cantinho, é uma injeção de ânimo para que eu possa continuar com este maravilhoso trabalho que esta blogsfera nos oferece. Sua presença é muito importante e eu agradeço de todo coração.
Como diz um poeta desconhecido:
“Há pessoas que como estrelas
irradiam o brilho de sua luz interior
transformando a própria essência
em uma existência de carinho e
sensibilidade”.
Você é uma pessoa iluminada!!!
Que Jesus continue te protegendo e irradiando de beleza para que você e toda sua família sejam muito felizes. Abraços uma linda tarde de Domingo e um início de semana abençoado.
Lourdes Duarte
http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...