segunda-feira, 21 de março de 2011

A Vitória do Amor - Lynne Graham

Título Original:
The Italian Boss Mistress
Copyright © 2003 by Lynne Graham

Protagonistas:
Andreo D´Alessio e Pippa Stevenson

Sinopse:

Um mal-entendido leva Pippa Stevenson para a cama do empresário italiano Andreo D'Alessio. 

Ele é um amante fabuloso, mas Pippa fica arrasada ao descobrir que ele é o dono da empresa para qual ela trabalha!

Apesar de ter seduzido uma funcionária, Andreo decidiu que a quer para ele. Mas negócios e prazer não se misturam, e logo Andreo precisa encontrar um jeito de convencer Pippa aceitar uma nova proposta.


Resenha:

A Lynne é minha autora favorita, sem dúvida! E nesse livro em especial, nossa! Ela se superou! Vcs sabem aquele homem que diz tudo certo no momento certo? Aquele homem que tem a dose de ironia na medida certa? Aquele homem que tem umas tiradas maravilhosas capazes de te fazer rir? Esse é Andreo D´Alessio! Nossa! Ele é demais! Ainda por cima italiano, inteligente, milionário, sexy, e ainda por cima, bom em matemática!!! O que mais vc poderia querer?? Hahahahaha.. Devo confessar que me apaixonei por ele.. Eu tenho a mania de sublinhar os trechos que me chamam atenção, as falas que, na minha opinião, são fofas e tals.. e nesse livro, juro que sublinhei quase o livro inteiro. Tá sendo até dif[icil selecionar um só trecho para postar aki no Ponto Alto e já o reli tantas vezes, que já está até meio acabadinho. Mas, vamos a resenha.
Pippa é funcionária de uma empresa, a qual Andreo acaba de comprar. Ela se considera um patinho feio, e em boa parte, ela deve isso ao próprio pai, que sempre fez questão de humilhá-la. É sério, ela é totalmente complexada com isso. Ainda po cima, perde a promoção que dava como certa e escuta dizer que é por conta de sua aparência. Aí é que a mulher fica louca da vida mesmo! Descobre qie tinha o apelido de Pippa Caniço. Onde vcs acham que foi parar a auto-estima dela com isso? Ouve também que foi o próprio todo poderoso que a recusou para o cargo por ela não ser bonita. Ah! A bichinha fica tão fula da vida, que decide passar por uma transformação radical para ir a festa de boas vindas do chefinho. Resultado? O chefinho em questão, Mr. D´Alessio fica caidinho por ela! O mais engraçado, é que ela, não sabe, que ele é ele e começa a falar mal dele para ele mesmo! hahahaha.. Atiçou a curiosidade dele, né? Já que ele se considera um chefe justo e td isso. A questão é que eles vão para cama e só depois que ela descobre quem ele é. O fofo é que ele gosta dela de cara e gosta mesmo.. Em nenhum momento, ele se questiona a respeito dos próprios sentimentos. Sempre soube q que queria e faz de tudo para conseguir, o que no caso é ela. Não quer perdê-la de vista nem por um minuto e diz que, se preciso, percorreria a França inteira atrás dela.. óunnn.. não é fofo??? Eles engrenam um romance, mas ela acaba achando que ele mentiu para ela, por causa de uma ex- namorada vaca, o fato é que ele realmente ainda estava envolvido, tecnicamente, com a outra, e ela dá no pé. E lógico, ele vai atrás dela, e lógico que ela está grávida, e lógico que ela não quer contar pra ele, e lógico que ele descobre e lógico que pede ela em casamento, e lógico que ela não aceita. A verdade é que as vezes, me deu mt vontade de dar uma panelada na cabeça da Pippa, para ela deixar de ser tão teimosa. Mas o Andreo salvou o livro e eu SUPER RECOMENDO! õ/

Ps: Esse é o segundo livro da série Brides of L'Amour, das quatro amigas que passam férias jnts na França e as famílias se envolvem num terrível acidente de carro. O primeiro se chama Em seus braços para sempre e o terceiro Para sempre em seu coração. Nunca entendi porque a Lynne nunca escreveu o livro sobre a quarta amiga.

Pontos Altos:


Andreo a escoltou na direção do lado mais tranqüilo do balcão do bar, com um leve toque nas costas dela.
— Mas por que você acha Andreo D'Alessio ma­chista?
Ansiosa para mudar de assunto, Pippa murmurou apressada:
— Você ainda não me disse o seu nome... Como se já soubesse o quanto tinha mexido com ela, Andreo lhe dirigiu um sorriso.
O coração dela martelou com tanta força e rapidez, que ela momentaneamente se sentiu zonza.
— O meu nome, lamento, é Andreo — revelou ele.
— Andreo é um... nome comum na Itália?
— Muito... Todo mundo se chama Andreo — di­vertiu-se ele.

***


— O erro está nessa linha — murmurou ela, fran­zindo a testa e se aproximando dele.
Andreo se admirou.
— Ah, é? — desafiou ele.
Pippa tirou a caneta dos dedos dele e resolveu o problema, enquanto explicava o erro que ele havia cometido nos cálculos.
Andreo respirou fundo, lentamente. Ele era me­lhor em matemática do que 99 por cento das pessoas. Conhecia agora o um por cento que faltava na figura inesperada de uma ruiva adorável e indiscreta.

***

— Você perdeu o seu tempo vindo aqui! Andreo fez cara de desprezo.
— Esse diálogo é absurdo. Você está entendendo o que eu estou falando? Você age como se não fosse capaz de compreender o que você fez.
— O que eu fiz? — repetiu Pippa, contrariada.
— Sem avisar, sem explicar, você desapareceu no ar...
— Eu enviei a minha carta de demissão e devolvi os seus presentes... Isso não foi o suficiente?
— Para saber que você estava chateada com algo. Não passou pela sua cabeça quando você desapare­ceu que eu ficaria muito preocupado com você?
Pippa deu de ombros.
E por quê?
A raiva queimava no olhar repreendedor de Andreo, e ele se aproximou.
— A gente estava vivendo uma relação. Não dei razão nenhuma para você acreditar que eu faria algu­ma coisa para ferir ou magoar você. Dio mio... Você confiava em mim o suficiente para me dar uma chave da sua casa!
Com a garganta apertada e as lágrimas contidas, Pippa desviou o olhar dele, pois não queria lembrar do quanto ingenuamente tinha confiado nele.
— Quando você não respondeu minhas mensa­gens, eu fui até a sua casa para ver se você estava doente. Notei que você tinha feito as malas e partido, e fiquei genuinamente preocupado.
Involuntariamente, Pippa o espiou de relance e deu de cara com um olhar de desprezo que a conge­lou.
— A essa altura, não tinha a menor idéia de que você tinha pedido demissão da Venstar. A preocupa­ção me levou a contratar detetives particulares para traçar o seu paradeiro. Claro, um cara menos honrado simplesmente abriria o seu diário e o leria!
Essas palavras finais aterrorizantes pairaram no ar, enquanto Pippa arregalava os olhos para Andreo. Qualquer sinal de cor sumira de sua face.
— Meu... Meu diário? Como você sabe que eu te­nho um diário?
— Difícil não perceber. Ele estava ao lado da sua cama, rosa-choque, com um "meu diário" escrito na capa e um cadeado que eu poderia ter quebrado com um dedo.

***

Ele estacionou sob a sombra ampla de uma castanheira. Iluminada pelo sol do fim da tarde, a casa a fascinou. Ela saiu do carro e tomou a frente. A porta antiga de madeira os esperava já aberta. O saguão de entrada era pintado de um azul intenso como o do céu.
— Azul...
— Minha cor favorita — completou Andreo. — Como os seus olhos.
Se eu já não o amasse, refletiu Pippa, o amaria agora somente por esse galanteio.

Classificação:

Um comentário:

Carla Blackhawk disse...

Oi, flor! Vi seu coment la no Skoob e vim te fazer uma visita. Parabéns pelo blog. Bjs.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...