sexta-feira, 27 de maio de 2011

Paixão à Flor da Pele - Encanto Secreto - Julia James

Título Original:
The Italian´s Rags-to-Riches Wife
Copyright © 2007 by Julia James

Protagonistas:
Alessandro di Vincenzo e Laura Stowe

Sinopse:

Alessandro de Vicenzo é irressistível. Não há mulher que ele não possa conquistar... até Laura Stowe cruzar seu caminho. Ela é simples e se esconde atrás de uma aparência humilde para evitar a aproximação das pessoas. Mas Alessandro precisa do apoio da família dela para assumir a presidência de uma grande empresa. Para isso, ele está disposto a fazâ-la se sentir bela e desejada... Porém após despertar tamanha paixão, será ele capaz de controlar o próprio desejo?


Resenha:

Ahhhhhhhhhh! Eu tenho que confessar que sou completamente apaixonada por essa história!!! Não sei se vou conseguir transmitir para vcs, o quanto! Eu adoro os livros da Julia James, claro que toda autora tem seu fiasco, o modo como ela conduz suas histórias  é, exatamente, o jeito que eu curto! Tipo, de juntar o casal primeiro e só depois separar por algum motivo. Detesto livros em que o casal passa o livro todo brigando e só na última página se entendem. Affffffff..Odeio! Essa história é fofa também, pelo simples fato da mocinha se achar um patinho feio. Adoro isso! kkkkkkkkkkkkk..  Não se arruma, não se cuida e se acha o monstro do lago Ness. Alessandro também achou a mesma coisa qnd a viu, mas qnd ela é levada para um spa e tratada, é encontrada toda a beleza que ela escondia atrás das roupas largas e das sobrancelhas grossas. Gostei do modo como eles se entregaram a paixão sem resistências bobas e curtiram isso. E como ele tinha um ciúme absurdo dela! Achei ele mt fofo... quase sempre. hahahaha... Esse, sem dúvida, era um livro que eu gostaria de ver transformado em filme!

Laura é a filha bastarda de um milionário italiano que nunca a assumiu. Sua mãe morreu quando ela ainda era uma criança e seus avós maternos a criaram. Quando seu pai morre, seu avô paterno encontra evidências de sua existência e a procura. Ou melhor, manda Alessandro di Vincenzo procurá-la e trazê-la para a Itália com a condição de entregar para ele a presidência da empresa da qual são sócios. Alessandro a encontra e toma um choque, porque Laura é feia! Muito feia! kkkkkkkkkkkkkkk.. Adorei isso! Me lembrei da Betty, a feia. Além de feia, Laura é ressentida e complexada. Uma verdadeira fera e Alessandro a detesta logo de cara. Depois de convence-la a ir a Itália, seu avô, muito espertamente, os envolve em uma manipulação que os aproximará. Laura, depois de cuidada, se torna uma linda mulher e deixa Alessandro de quatro! Créditos para Tomazo, o avô, para Laura, que apesar de complexada, se entregou a paixão e a vida! Adorei o modo como ela foi descobrindo que podia, sim, atrair um homem e não se fez de rogada para paquerar muitooooo por aí, enlouquecendo Alessandro. Créditos para ela também, porque ela tem um pensamento como o meu. De viver um dia de cada vez. E aproveitar isso ao máximo, deixando para pensar nos problemas, apenas quando eles chegarem. Adorei também a atitude que ela teve ao descobrir a tramóia do avô e de certa forma, do Alessandro. Eu faria a msm coisaaaaa! Ela arrasou! Palmas de pé para ela, principalmente, pq ele ficou LOUCOOOO! kkkkkkk Créditos para ele tb, pq apesar de no início se deixar levar mt pela aparênci, ele foi um fofo, quando apaixonado. Esse livro, me fez ter vontade d ir a Roma, só para conhecer a Fontana di Trevi, jogar uma moeda e tomar sorvete depois.

Pontos Altos:


Depois de uma eternidade, a porta finalmente foi aberta e Alessandro entrou na casa.

O cheiro de umidade imediatamente o atingiu. Por um momento não conseguiu ver nada, depois percebeu um cor­redor escuro e uma arca encostada na parede. A porta atrás dele se fechou e o frio e a umidade diminuíram um pouco.
- Por aqui - falou a mulher que o fizera viajar milhares de quilômetros para encontrar.
Ela usava uma indescritível calça de veludo, e a ausência do casaco não melhorava sua aparência. Vestia um suéter com um buraco no cotovelo e mangas longas demais. O cabelo, ele percebeu sem surpresa, era horrendo: um emaranhado preso por um elástico.
Ela o guiou até a cozinha, aquecida por um antigo fogão.
- Quem é você e o que deseja me contar? - indagou Laura.
Alessandro não respondeu imediatamente. Sentou em uma cadeira e a observou.
- Você é mesmo Laura Stowe?
Ela lançou-lhe um olhar hostil.
- Como já disse, sim, sou Laura Stowe. E você é...
Alessandro continuou a fitá-la, absorvendo o quanto ela era sem graça. Não era apenas comum, era feia. Podia ser cruel, mas não havia outra palavra para descrevê-la. Tinha o rosto quadrado, olhos emoldurados por grossas sobrance­lhas e uma expressão amarga. Os genes de Stefano definiti­vamente não estavam nela.
- Sou Alessandro di Vincenzo. - Ele falou o próprio nome com sotaque acentuado. - Represento o signor Viale.

***


Para Laura, as horas seguintes passaram como um giro delicioso na máquina de algodão-doce. Italianos jovens, ricos e belos se divertiam na noite de Roma. E Laura era uma deles. Pela primeira vez na vida, Laura só precisou seguir o fluxo, que a levou a lugares mágicos.

Ela comeu, bebeu, sorriu, dançou. Não sabia aonde fo­ram, mas tinha luzes e música, e só algumas pessoas podiam entrar lá. E ela era uma das escolhidas.
Ela se entregou. Riu, conversou, dançou, sempre beben­do champanhe. Quando chegaram à boate, mais pessoas se juntaram ao grupo. Ela não precisava dizer muito, e não conseguiria. Era mais do que suficiente pertencer ao grupo. A este mundo de pessoas bonitas...
Não era real. Ela sabia que não passava de ilusão, sonho. O mundo mágico abrira as portas temporariamente para ela. Mas não pensaria nisso. Apenas ficaria lá, com uma taça de champanhe nas mãos. Aceita.
Admirada.                        
Podia ver a admiração nos olhos dos homens. Eles sor­riam-lhe. Dançavam com ela.
Era mais embriagante que champanhe. Maravilhoso. Inacreditável.
Delicioso.
Do outro lado da mesa, via Luc Dinardi. Ele flertava descaradamente com Stephanie, mas de vez em quando olhava para Laura com malícia. Ela não conseguiu fazer outra coisa além de corresponder. Sabia exatamente que tipo de homem ele era, que flertava com todas, mas ela jamais fora incluída nesse grupo.
Luc não fez mais do que olhar para ela, e Laura sabia o motivo. Esteve ao lado dela a noite inteira. Era como uma nuvem negra se aproximando do céu azul. Ela o ignorou.
Por que se preocuparia com a reprovação habitual de Alessandro? Ele deixara sua opinião sobre ela clara como água desde que se conheceram. Nada o agradava. Ele não gosta­va dela quando estava feia, e não gostava agora! E daí? Ela estava lá por culpa dele.
Mas tudo acontecera, de qualquer maneira, como um milagre. E ela não rejeitaria as mudanças. Se Alessandro di Vincenzo não gostasse... azar o dele. Ele pertencera ao grupo de pessoas bonitas a vida toda. Mas para ela tudo era como uma festa na qual jamais pudera entrar.
E aproveitaria enquanto pudesse.
Então deliberadamente o ignorou. Ela o deixou de lado e riu, conversou e dançou com vários homens.
Até mesmo com Luc Dinardi.
Era uma música rápida, como todas, e ela se entregou, como todo mundo. Então a música acabou, e a atmosfera pareceu mudar. As luzes pararam de piscar e uma música lânguida começou.
Em toda a pista de dança, os casais se abraçavam.
E Luc Dinardi se aproximava dela.
Ele a enlaçou pela cintura e murmurou algo que não entendeu. Mas de repente ele foi afastado.
- Minha vez - falou Alessandro e tomou o lugar de Luc, cingindo-lhe a cintura.
Ela não conseguiu dizer nada. Sentiu-se perder o fôlego. Como se tivessem vida própria, as mãos se apoiaram no ombro dele. Os olhos se encontraram.


***


Ele suspirou. A fúria de Laura se esgotara. Assim como ela estava esgotada. A tristeza ocupou o lugar da fúria. Fria e amarga. E sem sentido, tão sem sentido. Do mesmo modo que essa conversa. A verdade era a verdade. E ela era o que era. Nada podia mudar isso. Ela balançou a cabeça, cansada e impaciente.

- Por que importaria agora? Acabou. Não há sentido em falar sobre tudo isso. Você queria a maldita presidência, fez tudo que Tomaso mandou e conseguiu o que queria. Que bom para você. Além de me seduzir e respirar fundo para ir em frente durante o sexo enquanto pensava na presidência, o único preço que você teve de pagar foi uma foto idiota em um tabloide idiota que ninguém inteligente lê. Então quem se importa? Não vou mais perturbá-lo, e você já cumpriu sua última missão. Agora já pode ir, não pode? Finalmente. Vá! Preciso trabalhar.
A voz dela falhou no final, e limitou-se a olhar para ele, que não se movera. Ela ficou irritada. Queria que ele fosse embora. Ele podia sair da sua casa com toda aquela elegância e entrar no carro luxuoso. Podia voltar para Roma, presidir reuniões. Ele gostava de ser presidente. Tanto que a vestira como uma boneca imbecil e se forçara a levá-la para a cama, sabendo que ela era uma tola. Como uma mu­lher poderia dizer não para um homem com a aparência dele, um beijo como o dele?
- Vá! - Ela estava quase gritando. - Não quero você aqui! Não o quero perto de mim! Não quero ter nada a ver com você! Nem com meu avô! Nem com a Itália! Vá!
O problema era que ele não estava indo embora. Fez algo bem pior. Estava se aproximando dela.
- Eu não - Alessandro disse, pronunciando cada palavra - fiz sexo com você por causa da presidência da Viale-Vincenzo. Que você se permita acreditar por um segundo sequer no que um paparazzo de quinta categoria diz - ele respirou fundo —, acho inacreditável. Que você tenha corri­do para outro homem, acho imperdoável.

Classificação:


2 comentários:

Elis Miranda disse...

Eu amoooooooo esse livrinho!!!!!
É muito bom!

Adorei o blog! Sou louca por sheiks tbm.

thaila oliveira disse...

já li encanto secreto e amei, quando o cara percebe o quanto a mocinha fica linda é hilaria a cara que ele faz

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...