segunda-feira, 2 de maio de 2011

Romance Proibido - Melanie Milburne

Título Original:
Bought for the Marriage Bed
Copyright © 2006 by Melanie Milburne


Protagonistas:
Marc Marcello e Nina Selbourne


Sinopse:


Um caso proibido...

Nina foi abandonada com um bebê nos braços, porém a criança não é seu filho! Sua maquiavélica irmã gêmea tentou dar o golpe do baú em um milionário, mas o destino pôs um fim trágico a seus planos diabólicos...

Vingança... e casamento!

Marc Marcello quer a guarda da menina. No entanto, confunde a pacata Nina com sua desonesta cunhada. E ela está decidida a proteger seu amado bebê a qualquer custo... mesmo que tenha de esconder a verdadeira identidade e aceitar um casamento de conveniência!



Resenha:


Então.. tenho que parar de começar minhas resenhas com "então", mas td bem.. Já virei fã da Melanie Milburne! Ela sabe explorar esses temas de chantagem como ngm! Gostei desse, especialmente, por ser história de gêmeas e eu gosto bastante. Me lembrou, o tempo todo, a novela A Usurpadora. Na verdade, fiquei, imaginando a Nina na imagem da Paulina.. hahaha.. mas não consegui imaginar a Nádia como Paola, porque a Paola era glamurosa, biscate, mas glamurosa.. hahahaha.. Já a Nádia era uma biscate safada e sem nenhum glamour. Medíocre até.



Nina e Nádia são irmãs gêmeas. Nina, bibliotecária, tímida, recatada que leva uma vida reclusa. Nádia, exuberante, safada e adora um dinheiro. Disposta a tudo para agarrar uma marido rico, mantém um romance com um banqueiro e engravida de propósito para arranjar um casamento. Mas, se dá mal, quando André, o banqueiro em questão, se recusa a assumir a criança. Por isso, ela inferniza a vida dele até que ele morre num acidente e a família dele a culpa. Principalmente seu irmão, Marc. Com a morte de André e com a recusa da família em aceitar a bebê, Nádia decide dar a filha para adoção, mas Nina, sua irmã, não permite e fica com a menina. Depois de ver uma foto da criança, Marc, finalmente acredita que a bebê é sua sobrinha e decide tomá-la da mãe, mas aí, já é Nina que está com a pequena Geórgia, e vendo a dedicação de Nina com a bebê e acreditando que ela seja sua mãe, ele a obriga a se casar com ele. O que mais gostei nesse livro, foi o fato de ele querer desprezar Nina, por achar que ela é promíscua e tudo o mais e, simplesmente não conseguir resistir a ela. Ele a beija num momento e no outro se odeia por não resistir a tentação. Esse conflito é muito gostosinho de ler. E a Nina? Gente! Tímida, nada! Safadeeeeenha a beça! Adoro! kkkkkkkkkk.. Créditos para Marc, um homem sensível que entende o que é TPM, para Nina, pq gostei dela, para Lúcia e para Geórgia, a bebê fofa.


Ponto Alto:



Nina acordou durante a noite com a costumeira cólica que a atormentava desde a puberdade. Gemeu de dor enquanto se arrastava para fora da cama.
Foi até o banheiro e, depois de tomar dois analgésicos, sentou-se na beirada da banheira, esperando que fizessem efeito antes de voltar para a cama.
— Nina? — A voz de Marc soou do outro lado. — Está tudo bem?
— Sim.
— Pensei que estivesse gemendo. Está doente?
— Não exatamente.
— Precisa de alguma coisa? Ela se levantou e abriu a porta.
— Estou bem. Não é nada que não tenha me acontecido antes.
Marc franziu a testa, compreendendo lentamente.
— Está menstruada?
— Está salvo, Marc — Nina disse ao passar por ele. — Não será pai. Não fica feliz?
Ele a segurou pelo braço.
— Está pálida. Tem certeza de que está bem?
— Geórgia está dormindo, Marc. Não precisa fingir que se preocupa comigo no momento.
— Está vivendo sob o teto de minha família e, portanto, sob minha proteção.
Nina se desvencilhou dele.
— Não estou doente! Só preciso ficar sozinha. Será pedir muito? — Ela sentiu as lágrimas turvarem sua visão e virou-se para a porta.
Marc a puxou pela roupa de dormir e viu os olhos marejados, sentindo algo disparar dentro de si.
Passou o polegar pela bochecha onde uma lágrima deixava um caminho cristalino.
— Você está chorando — ele disse, parecendo surpreso.
— Não diga. — Ela soluçou e esfregou os olhos com a mão livre.
— Por que está chorando? Nina ergueu a cabeça.
— Existe lei contra isso, Marc? Preciso pedir permissão para chorar?
— Não... Só estava perguntando.
— Estou chorando porque sempre choro quando estou menstruada — ela soluçou. — Não consigo evitar. Fico emotiva demais e começo a choramingar pelas coisas mais bobas. — Nina assoou o nariz no lenço que ele oferecia. — Não queria acordá-lo. Sinto muito... mas eu...
Marc a puxou para si, os dedos acariciando os sedosos fios de cabelo.
Nina apoiou o rosto no peito dele, os braços segurando a cintura.
— Shh — ele murmurou. — Não chore.
A gentileza dele só piorou as coisas. A culpa que Nina sentia pelas mentiras a fizeram soluçar ainda mais.
Depois de um tempo, Marc percebeu que ela se acalmava, o choro quase havia cessado. Ficou com Nina em seus braços, o queixo apoiado em sua cabeça, aspirando o perfume de gardênia de seus cabelos. Queria parar o tempo e ficar ali com ela para sempre, o corpo comunicando silenciosamente o amor que fora incapaz de impedir de sentir.
— Desculpe. — Nina se afastou. — Molhei sua camisa.
Ele viu a mancha úmida e sorriu.
— Não tem problema. Eu já ia tirá-la mesmo. Nina o fitou com embaraço, a mão procurando pela porta.
— É... é melhor eu voltar para a cama. Está tarde. Marc tomou-lhe a mão e a levou à boca, os lábios tocando cada dedo enquanto os olhos se mantinham fixos nela.
— Marc... Eu...
— Não fale, Nina.
— Acho que não... — Ficou calada quando ele levou um dedo aos lábios dela.
— Não fale — ele insistiu. — Mudei de idéia. Eu a levarei para minha cama. Não para fazermos sexo; isso pode esperar. Só quero ficar abraçado com você.
— P-por quê? — Nina perguntou assim que ele afastou o dedo de sua boca.
Ele a olhou nos olhos por incontáveis segundos antes de responder:
— Porque quando te abraço, esqueço meu irmão. Esqueço minha dor. Só consigo pensar na sensação de tê-la em meus braços.
Nina ficou com o ar preso no peito, o coração apertado devido à honestidade que via naqueles olhos escuros.
— Certo. — Ela baixou os olhos. — Eu durmo com você.

Classificação:


2 comentários:

Bia Carvalho disse...

Nossa, amei esse trecho!!!
Flor, seu blog é uma graça!

Quando tiver um tempinho me faz uma visitinha tb?
www.amormisterioesangue.com

Bjs

Mil suspiroos disse...

Lu, tenho um desafio pra vc lá no blog!

http://milsuspiroos.blogspot.com/2011/05/desafios-marcados.html

Bjossss
Renata

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...