terça-feira, 14 de junho de 2011

Amor que me Inspira... Por "Coração Selvagem"

Olá, gente!

Eu gostei, meeeeesmo, de ter um espaço dedicado a outra das minhas paixões: as novelas mexicanas! O primeiro post sobre a novela La Traición foi um sucesso e permanece, ainda, depois de quase duas semanas, entre os 5 mais vistos do blog. Hoje, eu vou postar sobre outra novela de época, que me encantou do início ao fim! É sério! Eu nem pretendia assisti-la na época, mas vendo um só capítulo, ela já me prendeu tanto que não consegui largar. De no final, chorar! Aliás, isso não é novidade! Eu choro no fim de tooooodas as novelas que amo. Então, com vocês, a segunda edição da coluna "Amor que me Inspira..." Por Coração Selvagem!




Essa foi, sem sombra de dúvidas, a MELHOR novela de todos os tempos.. na minha opinião, claro.. Um prato cheio pra kem gosta de novela com aventura, suspense, ação, o melhor do drama mexicano e muito, mas MUUUIITO ROMANCE!!!! Ah!! Soh de lembrar do João do Diabo, vivido pelo inesquecível Eduardo Palomo, eu já começo a suspirar.. Q homem! rsrs.. Mas a nossa heroína também não deixou nada a desejar.. sempre forte, autêntica, com mt persanalidade, além de mt romântica! Nessa novela, até os vilões tiveram seu charme.. como o André e a belíssima Aymée. Alguns nem tanto.. rsrs.. como a Sofia e o Alberto.. mas jntando tds esses ingredientes, a novela ficou PERFEITA!!! Espero que vocês possam curtir essa história, assim como eu.


Resumo:


A distinta família Alcazar tem uma mancha em seu brasão, Francisco marido de Sofia teve um caso extra - conjugal com uma mulher da aldeia, e desse affair nasce João que até os 15 anos de idade foi criado por seu padrasto, um homem bêbado e vagabundo que só lhe ensinou malandragens. Francisco, ao saber da existência de seu filho bastardo o procura e o leva para viver com sua esposa e seu outro filho André.



Sofia não aceita conviver com a prova do pecado de seu marido, em meio a tantos problemas, Francisco sofre um acidente à cavalo, e morre com a carta que reconheceria João como seu filho legítimo. Irada, Sofia não pensa duas vezes e expulsa João abandonando-o a sua própria sorte.



Passam-se muitos anos e a história se desenrola em um perigoso "quarteto d'amour", Mônica e Aimé são filhas da viúva Catarina, ainda que irmãs, são totalmente distintas. Aimée foi criada por uma tia na capital, freqüentou escola para moças, e os mais altos saraus da sociedade mexicana tentando encontrar um marido rico, porém suas tentativas eram todas em vão, já que apesar do nome Altamira que ostentava, a sedutora dama não tinha dote, já a doce Mônica, ficou aos cuidados de sua madrinha Sofia com o intuito de preparar uma verdadeira "Senhora" para seu filho André Alcazar que só tinha visto a noiva quando tinha apenas 8 anos de idade.



Na capital, André recém chegado da Europa (onde passou mais de 15 anos estudando), conhece sua prima Aimée, e se apaixona por ela. Quando André volta para o povoado, descobre que sua mãe firmou um compromisso de casamento com Mônica, mas o rapaz se nega, e afirma que se casará com Aimé.


Envergonhada por ser trocada pela irmã, Mônica, com dignidade aceita que Aimée se case com André e entra para um convento. Quando Aimée volta para o povoado conhece o pirata João do Diabo, e se apaixona por seus encantos e seu jeito rude de ser, se entrega a uma paixão ardente com requintes de luxúria. Mesmo amando João, Aimée preferiu se casar com André, pela posição social e pelo conforto que o nome Alcazar lhe proporcionaria. Sedento de vingança, João do Diabo passa a odiá-la e atormentar sua vida quando André resolve cumprir o ultimo desejo de seu pai de que nunca desampare o irmão, e agora que André já é um homem, propõe a João que ele viva na fazenda e que tome posse da metade da fortuna dos Alcazar.


Vivendo na fazenda, João conhece Mônica, e se casa com ela para enciumar Aimée, sem amor, Mônica faz mais esse sacrifício para impedir que o pirata contasse para André que era amante de sua irmã. Mas a vida dá voltas e voltas, com o passar do tempo João se descobre apaixonado por sua mulher, e sente nojo da amante Aimée. Por outro lado, André descobre a verdadeira face de Aimée, e se separa, recalcado, agora quer a todo custo se casar com Mônica para reparar este mal, porém Mônica está completamente apaixonada por seu Marido.

Batista, o capataz da fazenda prepara uma armadilha para Aimée, sabota o cavalo da moça que sofre um acidente e acaba morrendo. O caráter de André muda muito, chega ao ponto de tentar violar Mônica, sem sucesso, ele diz ao irmão rival que conseguiu. Honrado, João mesmo acreditando em André não deixa de amar sua esposa.
André se arrepende de ter mentido, e conta toda a verdade para o irmão, quando finalmente se abraçam e esquecem as mágoas do passado.
Mônica e João finalmente são felizes e não lamentam tudo o que sofreram, eles sabem que tudo isso aconteceu por terem um coração selvagem.


                             

Elenco:


Eduardo Palomo - João do Diabo

Edith Gonzalez - Monica de Altamira
Ana Colchero - Aimee de Altamira

Ariel Lopez Padilla - André de Alcazar Valle
Enrique Lizalde - Noel Mansera
Claudia Islas - Sofía de Alcazar Valle
Arsenio Campos - Alberto Serra
César Evora - Marcelo Romero Vargas
Isaura Espinoza - Amanda Romero Vargas
Yolanda Ventura - Açucena
Ernesto Yañez - Batista
Javier Ruan - Guadalupe Carreira
Veronica Merchant - Mariana Romero Vargas
Olivia Cairo - Joaninha
Adalberto Parra - Capitão Spindola
Ana Laura Espinoza - Lupe
Indra Zuno - Mercedes
Jaime Lozano - Segundo
Alejandro Rabago - Pedro
Gonzalo Sanchez - Torto
Gerardo Hemmer - Joaquim
Emilio Cortes - --
Monika Sanchez - Rosa
Luz Maria Aguilar - Dª Catarina
Queta Lavat - Madre Superiora
Tony "Antonia" Marán - Dolores
Julio Monterde - Frei Domingo
Maria Dolores Oliva - Telma
Arturo Paulet - Licenciado Mondragón
Christian Ruiz - André criança
Maribel Palmer - Teresa 



Curiosidades:

Nunca a Televisa esteve tão ambiciosa quanto nesse projeto. José Rendon, o produtor da novela, não errou, e Coração Selvagem foi um estrondoso sucesso. Foi um épico, que marcou tanto, que nem dez anos pôde apagar o tamanho desse sucesso.


Aqui no Brasil, a novela foi apresentada três vezes, duas na CNT em 1997 e uma no SBT, em 2000.


A novela era a terceira reedição de uma história já consagrada pelo público. Nesse remake porém, a perfeição foi alcançada, reunindo um elenco feito especialmente para brilhar. Érika Buenfil seria Mônica, que acabou ficando com Edith González, que por sinal, inicialmente seria Aimé, papel que acabou consagrando Ana Colchero. Ariel Lopez Padilla e Eduardo Palomo por pouco não estiveram na novela, mas felizmente acabaram ficando com os papéis de André e João do Diabo, respectivamente.


A trilha sonora e o figurino eram inéditos até então. Vários dos temas instrumentais da novela foram usados em novelas posteriores, e a partir de então, a emissora passou a cuidar melhor de suas trilhas sonoras. O figurino também foi confeccionado especialmente para a novela, e mais tarde, também foi reutilizado. 


Com o elenco principal definido, começou mais uma trajetória de sucesso onde todos se destacaram. Ariel Lopez Padilla jamais havia tido destaque em nenhuma novela, e foi uma revelação na pele de André Alcazar, um jovem rico e arrogante. Edith González como a sensível Mônica emocionou o público, que torceu do início ao fim pela personagem, brilhantemente interpretada. Cláudia Islas personificou a malvada Sofia, papel especialmente pensado para ela. Yolanda Ventura como a impulsiva Açucena foi um ótimo destaque, viria a ganhar mais papéis principais a partir daí. A novela também revelou outros nomes, como César Évora e Verônica Merchant. Cabe ainda destacar o primeiro ator Enrique Lizalde, que como sempre, saiu-se muito bem. 


Sobretudo, o grande destaque feminino foi a vilã Aimé, e Ana Colchero soube aproveitar muito bem a oportunidade, tanto é que ofuscou muito Edith González. Rolam até comentários que Edith, sentindo-se apagada por Ana Colchero, pediu a saída de Aimé antes do previsto (tanto é que ela não morria exatamente no final da novela), e mais: Edith teria pedido aos diretores para sempre ficar de frente para câmera e exigia mais closes, onde Ana Colchero sempre ficaria de costas. Verdade ou não, Ana Colchero nem assim ficou por menos, e brilhou como a perversa irmã da heroína.


Eduardo Palomo ganhava seu primeiro papel estelar, e logo consagrou-se como João do Diabo. Ele foi um verdadeiro herói, mas julgado um pirata pela alta sociedade da época. Apaixonado inicialmente por Aimé, ele apaixona-se pela doce Mônica, e tem seu sangue nobre reconhecido por alguns, tornando-se um grande líder. Eduardo esteve absolutamente perfeito no papel. Ele e Edith formaram um dos pares mais marcantes de todos os tempos. Eduardo e Edith projetavam a química perfeita na tela. 


Mas há um fantasma quanto ao que se diz de Coração Selvagem: nenhum dos principais envolvidos conseguiram igualar ou superar o êxito da novela depois. Eduardo Palomo tentou outras vezes usar uma fórmula parecida com João do Diabo, mas nunca sem o mesmo sucesso. A própria Edith González, ainda emplacou êxitos como Nunca Te Olvidaré e Salomé, mas também sem conseguir superar Mônica de Altamira. Ana Colchero ganhou um personagem estelar mais tarde, em Alondra, mas ainda que não tenha fracassado, não teve o mesmo alcance. Cláudia Islas ainda ganhou bons papéis, como a Amparo em Marisol, mas logo caiu no ostracismo e foi para a TV Azteca tentar algo melhor. E José Rendon, o produtor, só emendou fracassos após esse sucesso. 


Apesar de tudo, os atores são muito agradecidos, afinal Coração Selvagem proporcionou um sucesso avassalador para cada um deles. Eduardo Palomo não nega que João do Diabo foi seu personagem mais querido, assim como muitos outros. 


Coração Selvagem foi uma das primeiras novelas a ganhar praticamente todos os prêmios TV y Novelas (novela, ator, atriz, revelação masculina e feminina, primeira atriz, escritora, produtor, fora prêmios técnicos como figurino, direção e trilha sonora). Também pudera, foi um verdadeiro clássico da Televisa, e que seu sucesso jamais será esquecido nem apagado. Dez anos depois, a novela ainda é um marco da televisão mexicana. 


Ficha Técnica:
Original de - Caridad Bravo Adams
Versão de - Maria Zarattini
Ambientação - Rosalba Santoyo / Gerardo Hernández
Música Original - Jorge Avendaño
Tema - "Corazón Salvaje" Canta - Miguel Mijares
Diretor de Cena - Alberto Cortés
Diretor de Câmaras - Miguel Valdés
Produtor e Diretor Geral - José Rendón
Figurino - Silvia Teran / Fernándo Bermúdez
Cenografia - Mirsa Paz
Cenas externas - Puerto VallartaJalisco JojutlaMorelos e Cidade do México


Corazón Salvaje (Título Original)

Ano de emissão no México - 1993

Duração dos capítulos no México - 25min

*Data do exibição no Brasil - 4 de dezembro de 2000 à 12 de março de 2001
*Duração dos capítulos no Brasil - 1 hora



*Esses dados são de quando a novela foi exibida pelo SBT.
Alguns vídeos que contêm as principais partes da novela:


Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5


Um Tributo


Lindo vídeo!


"Si yo le hubiera tenido a usted, solamente volviendo ciego, sordo, o imbecil le hubiera dejado por otra, mucho menos por una zorra, como su hermana.."


" Se eu houvesse tido você, somente ficando cego, surdo ou imbecil teria te deixado por outra, muito menos uma qualquer como a sua irmã.." 


***

No se que tanto sepas... o que te hayan dicho, pero esto puede ser tan hermoso como uno quiera... Yo quisiera que olvidaramos todo lo que paso... y en este momento empezaramos una nueva vida para nosotros..."

" Não sei o quanto você sabe, nem o que te disseram, mas isso pode ser tão bonito quanto quisermos... eu gostaria que esquecêssemos tudo o que passou... e deste momento em diante, começássemos uma nova vida para nós..."


" Eres mia, Monica. Tu y yo estamos hechos el uno para el otro.. y ni cien Andrés me van a obligar a renunciar a ti... "


" Você é minha, Mônica. Você e eu fomos feitos um para o outro.. e nem cem Andrés vão me obrigar a renunciar a você... "
Outro Amor que me inspira profundamente...

Amo muito essa novela! Sem dúvida está entre as minhas TOPs!

Me despeço com um desenho que achei na net, infelizmente, não sei quem é o autor, mas achei muito bonito... Beijos!!!



Fonte: www.flogao.com.br/corazonsalvaje, que por sinal, é meu tbem! rs..

6 comentários:

dramatologia disse...

TUDO LINDO, TUDO LINDO!!!
gente, como eu amo essa novela!! Nem me lembro quantas vezes assisti, acho que umas 30! E nunca vou enjoar! E amei os quotes que você fez! Intensidade define! haha

ALEXIS disse...

Menina nunca assisti essa novela mas pelo seu post fiquei hiper curiosa!
Bjus Lu

Series Fanatic disse...

Parabéns pelo post.. esses dias voltei a assistir essa novela no idioma original, e realmente é a melhor novela de todos os tempos. Os dialógos entre Don Noel e Juan (João) são os melhores. Nunca houve e nem haverá novela tão bem feita como essa. Eu inicialmente não ia assistir, mas ficou viciada.

Ps: Outra novela dessa época que passou no SBT foi Kassandra, você lembra dessa novela.

Unknown disse...

Edith González y Eduardo Palomo "LA PAREJA PERFECTA!" Muy Hermosos!
Besos..
Saludos de México.

Fran Reis disse...

Oi Lu.
Fazia tempão que não passava por aqui, mas não pude deixar de notar e ler este post maravilhoso sobre esta novela singular.
Realmente, é difícil superar a beleza de Coração Selvagem. É uma história completa, com todos os ingredientes para um grande e inesquecível romance.
A química entre Edoardo Palomo e Edith Gonzales é sem igual. Adoro novelas mexicanas e só vi química semelhante em Passion de Gavilanes, mas, ainda assim, não igual a esta.
Pena que Edoardo partiu para o andar de cima em 2003 e não o teremos mais, mas seu papel nesta novela foi inesquecível.
Outra novela que eu gostei muito foi Amor Real. Acho que você já viu né?
Sucesso.
Bacci.

paula dourado disse...

Amo! Já perdi a conta de quantas vezes assisti. Estou assistindo novamente. Após Coração Selvagem, não consigo assisti nenhuma outra. Começava assistir e depois desistia. Hoje, nem tento mais. Ela é tão especial que parece relatar fatos reais, você esquece que é uma novela e se conduz para a história como se estivesse vivendo-a. Maravilhosa, linda, completa. Juan e Monica, casal perfeito, eterno.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...