quarta-feira, 29 de junho de 2011

Nas Teias do Ciúme - Kathryn Cranmer

Título Original:
Passionate Enemies
Copyright © 1983 by Kathryn Cranmer

Protagonistas:
Francisco Ramirez e Lizbeth Ramirez

Sinopse:


A separação tinha sido uma tortura. Lizbeth fora acusada de traição e abandonada grávida de uma criança que sempre seria vista por Francisco como prova de pecado. Mas ela conseguiu refazer sua vida, e iria ser finalmente feliz quando se casasse com John. Lizbeth não poderia imaginar, porém, que nove anos após a separação, Francisco fosse aparecer de novo para destruir seus planos. Em vez de apagar as mágoas, o tempo serviu apenas para fazer crescer o ódio do ex-marido, levando-o a planejar uma sórdida vingança. Será que mais uma vez ela ficaria sujeita ao poder de destruição de um homem completamente transtornado pela fúria?


Resenha:

Olha, não sei o que dizer! Eu acho que tenho um problema com esses florzinhas. Acho que a visão de antigamente era bem diferente da de hoje em dia, porque toda vez que leio a sinopse de um florzinha, me empolgo, mas quando vou ler acho o livro fraco. Sempre acho que falta "pegada". No caso desse, em especial, eu criei uma certa antipatia pelo protagonista. Achando sempre que a mocinha devia estar ao seu dispor.. aff.. a abandona por 9 anos e depois, quando reaparece, ainda acha que ela deve fazer o que ele quer.. affffff.. não deu pra mim... até as cenas de ciúmes, que eu geralmente adoro, nesse livro achei fracas. 


Liz e Francisco estavam casados há seis meses, quando ela começou a detectar problemas no seu casamento. O ciúme excessivo de Francisco! Ele tinha mania de achar que todos os homens de quem Liz se aproximava era porque estava tendo um caso com ele. E tudo culminou quando ao retornar de uma viagem, ele flagra Liz no sofá da sala com seu amigo de faculdade (tá legal, que eu também não entendi qual foi a da Liz na situação), mas o caso foi que ele foi embora de casa prometendo nunca mais voltar, sem saber que Liz estava grávida. E claro, quando ela comunica a ele, ele imagina que a criança não é dele. Nove anos depois, Liz prestes a refazer sua vida, entra com o pedido de divórcio e aí, começa a minha irritação. O cara fica 9 anos sem ver a mulher, a acusa de ter um caso, não assume o seu filho e ainda quer chegar cheio de moral, mandando na vida dela, dizendo o que ela deve ou não fazer. Affffff... E no fim ainda a acusa de esconder o filho. Era só o q faltava! E a tonta, ainda fica dizendo que vai deixar o filho ir. Não sei, mas irritou.. hahahaha.. Depois, veio dizendo que a amava que fez td por ciúmes, mas na minha opinião, uma pessoa não passa NOVE ANOS sem entrar em contato com a outra se a amasse de verdade. E nove anos, porque foi ela quem deu o primeiro passo, porque a meu ver, se ela não desse, ele passaria a vida toda sem ela. Isso é amor?


Ponto Alto:



Por que tinha aceitado aquele convite para ir à Espanha? Perguntou-se desamparada. Mesmo que voltasse no dia seguinte, a vida já não seria a mesma. O impacto dos últimos momentos mostrou-lhe dolorosamente que jamais conseguiria viver ao lado de outro homem além de Francisco.
Tinha que reconhecer que ainda o amava, talvez até mais do que antes. Agora, viver sem ele seria como estar em um deserto intransponível! Assim que Francisco voltasse ia pedir que a deixasse voltar para a Inglaterra o mais cedo possível! E então só lhe restaria enfrentar o futuro sozinha, absolutamente sozinha! Sabia que ele a desejava e, se dissesse a verdade sobre Edward, possivelmente a aceitaria de volta.
Exausta, encostou a cabeça e cruzou os braços. Oh, se a partir daquele instante pudesse consertar todos os seus erros! Bem, pelo menos tinha o consolo de ter um filho adorado. ..
— Então resolveu me esperar, Lizbeth...
— Francisco! — exclamou, sobressaltada. — Você me assustou! — Tentou enxugar as lágrimas com as mãos, apressadamente.
— Use isso — ele disse. — Talvez precise de um lenço, depois de ouvir o que tenho a lhe dizer...
— Oh, Francisco, por favor! — protestou fracamente. — Sei que hoje à noite fiz tudo errado. Expus-me ao ridículo diante de todos os seus convidados e da mulher que você ama. Sei que me comportei de uma maneira desprezível e grosseira, mas amanhã mesmo você se verá livre de mim. Será que não podemos deixar as coisas como estão?
— Não, não podemos, embora isso lhe convenha — Francisco retrucou impiedosamente. — Se com aquele comportamento pensava em obter de mim o divórcio, se enganou. Quanto ao resto, há muito tempo, descobri que seus padrões de moralidade não são nada elevados . ..
— Como ousa me falar assim? — gritou, despertando subitamente com a agressividade daquelas palavras.
— Ouso porque digo apenas a verdade — ele respondeu, tirando um cigarro do bolso do paletó. Acendeu-o nervosamente e deu uma baforada. — Foi ridículo contar a um homem como Diego a respeito de seu filho ilegítimo. Chego a duvidar que seus gritos foram autênticos — acrescentou, levantando as sobrancelhas interrogativa-mente.
—  Você ouviu?
—  Naturalmente. ..
—  Quanto ao meu filho, não fui eu quem contou a Miguel. Pensei que você tivesse contado.
—  Acha mesmo que eu falaria com alguém sobre o assunto? Mas posso imaginar como a notícia se espalhou. Minha família sabe sobre o menino, é claro, e mamãe é amiga da señora Diego.
Aproximou-se da janela e contemplou o pátio interno.
—  Diego nunca mais voltará a comentar o assunto, pelo menos não na minha presença.
—  Você. . .   você o machucou?
—  Ele sobreviverá — ele respondeu, secamente. Nisso, levou a mão ao queixo e, iluminados pela luz, ela viu que os dedos estavam manchados de sangue.
—  Você está ferido, Francisco! Deixe-me ver.
Liz se aproximou dele e examinou o queixo.
—  Foram os anéis de Diego — comentou contrafeito. — Deixe, isso não tem importância. —  Liz,  porém,  continuou  limpando  a ferida com o lenço que ele lhe dera. — Depois, Liz! — Francisco exclamou, puxando a mão dela para baixo. — Ele estragou seu vestido — observou, pegando um pedaço de tecido rasgado. — Uma pena! Ele lhe caía perfeitamente.
— Obrigada... — Liz murmurou, sentindo o coração palpitar. O toque de Francisco tinha um incrível poder sobre ela e imediatamente seu corpo começou a fraquejar.
—  Temos que conversar sobre o seu comportamento desta noite
—  Francisco mudou de assunto.
—  Não sei o que dizer, como explicar... Comportei-me mal, isto é certo. Terá razão em se zangar comigo, Francisco.
— E acha que isso é tudo? Não acha que deveria ser castigada por me fazer sofrer?
— Francisco, por favor, sim? — sussurrou, erguendo a mão e tocando-lhe o peito, incapaz de disfarçar a emoção que começava a dominá-la.
Numa fração de segundos ele agarrou e apertou-a loucamente contra o corpo. Liz sequer pensou em afastá-lo.
— Dios, Lizbeth! Eu a quero! — murmurou, a voz rouca, deslizando os lábios sobre a pele macia de seus ombros, subindo-os pelo pescoço até tocar o rosto e encontrar os lábios sensuais.
—  Oh, Francisco! Francisco! Por favor, me ame, me ame.
— Seu vestido... ajude-me... — Francisco pediu às pressas, lutando contra a resistência do zíper que, finalmente, correu para baixo até os quadris, permitindo que o vestido se abrisse e revelasse as curvas de Liz. O vestido logo escorregou corpo abaixo, amontoando-se em torno de seus tornozelos.
Por um momento, Liz temeu as conseqüências daquilo tudo. Pressentiu que respondiam apenas a um impulso físico que nada lhes acrescentaria em termos de vida. Mas, ela refletiu, ao menos levaria para sempre a lembrança de um instante, a lembrança de mãos acariciantes, de corpos trêmulos e famintos, de músculos tensos e prazeres inexplicáveis!
—  Oh, Liz, como você é linda! Deixe-me olhá-la, Lizbeth — murmurou, curvando-se para beijar seus seios.
—  Francisco!  — ela gritou  de desejo. Nisso, ouviram batidas na porta.
—  Francisco! — uma voz chamou. — Você está aí?

Classificação:


2 comentários:

Suelen Mattos disse...

Oie!!! Tem selinhos pra vc no Romantic Girl:

http://su-romanticgirl.blogspot.com/2011/07/novos-selinhos.html

Bjs!!!

Nathal Sant disse...

Não gosto desse tipo de romance, depois de anos de separação, ele ou ela aparece de novo para atrapalhar e depois entendem que sempre se amaram...fala sério?
Bjs
Nathal
http://mromances.blogspot.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...