sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Conquista Selvagem - Susan napier

Título Original:
Savage Courtship
Copyright © 1994 by Susan Napier

Protagonistas:
Robert Savage e Vanessa Flynn

Sinopse:

NA BUSCA DO AMOR, ROBERT E VANESSA ESTAVAM DESTINADOS UM AO OUTRO ...

Vanessa sentiu-se indignada! Como Robert Savage tinha coragem de acusá-la de sedução, se tudo não passara de um mal-entendido? Pouco importava que ele fosse um exemplo perfeito de autocontrole e sofisticação, também era seu patrão, além de um perigoso predador de corações femininos. Só que Vanessa não tinha nenhuma intenção de se tornar mais uma vítima do charme desse homem. Porém, Robert parecia não pensar do mesmo modo que ela...


Resenha:

Eu não sei se me desacostumei com esse livros da era Julia, Sabrina, etc., ou se esse livro é chato mesmo. Mas, acho que é o livro que é chato mesmo. O treco ficou numa enrolação, que eu acho que os protagonistas dão o primeiro beijo na página 90! e não tenho paciência para livros assim, a la Barbara Cartland! Faltou emoção.

Vanessa trabalha como governanta em uma das casas de Robert. Uma bela noite, ele chega em casa e encontra uma loira misteriosa dormindo em sua cama. Mal sabe ele, que essa loira fantástica, é sua recatada governanta. Ela tenta esconder dele o máximo que pode - até quase o fim do livro, não sei como pode, dizem que é porque estava muito escuro - o que deixa todos imaginando que pode ser um dos fantasmas que rondam a casa, como reza a lenda. Vanessa, ainda tem problemas por ter sido acusada de causar propositalmente um ataque cardíaco em seu antigo empregador e de ser praticamente estuprada pelo filho do mesmo. Créditos para Dane, que foi o único divertido nessa história.

Ponto Alto:

Ao acender a luz e se ver no espelho, Vanessa estremeceu. Parecia ainda pior do que estava se sentindo. O vestido estava amassado e ainda havia algumas marcas vermelhas em seus seios, deixadas por Robert, depois que haviam feito amor. Será que os pais dele haviam notado? Deus, por isso eles haviam sido tão agressivos!
Tirou o vestido com determinação, querendo livrar-se da falsa imagem que fizera de si mesma.O banho quente fez um bom trabalho, aliviando a tensão de seu corpo e os vestígios da paixão que compartilhara com Robert. Algumas lágrimas escoaram junto com a água, quando Vanessa se deu conta do que fizera por covardia.
Robert não fizera nenhuma tentativa de defendê-la, mas ela também não lutara para defendê-lo. E se ele também estivesse sozinho e magoado agora?
Deixando o pensamento doloroso de lado, Vanessa enxugou o corpo e os cabelos. Largou a toalha no chão e foi nua mesmo para o aposento seguinte.
Através do luar que entrava pela janela, vislumbrou a cama a um canto do aposento, mas não deu muita atenção a ela. Atravessou o quarto em direção a vista da janela, atraída pela visão da cidade adormecida.
A paisagem mostrava o centro comercial e mais além as águas tranquilas do Porto Waitemata, iluminadas pela luz prateada da lua.
Vanessa suspirou, sentindo-se tão isolada quanto aquele porto distante. Abriu a janela, inspirando o ar da noite e desfrutando a deliciosa sensação da brisa sobre seu corpo nu. Precisava começar a fazer isso de agora em diante. Aproveitar os pequenos prazeres da vida.
Virou-se com um sorriso de apreciação dançando nos lábios. Acendeu o abajur e congelou no mesmo instante. A ampla cama já estava ocupada!
Embora a iluminação fosse pouca, era possível notar que se tratava de um homem. Estava nu, deitado de bruços, com os braços abertos e o rosto semi-coberto pelo travesseiro.
Vanessa fechou os olhos e balançou a cabeça, certa de que se tratava de alguma ilusão. Olhou-o mais uma vez, movendo-se com hesitação para o outro lado da cama.
Vanessa inclinou-se e de repente todos os músculos do corpo incrivelmente atraente tornaram-se tensos. Ele virou o rosto e Vanessa deparou-se com um familiar par de olhos azuis.


- Oi, Cachinhos Dourados. O que a trouxe tão longe? - indagou ele, num tom insinuante.


Classificação:









LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...