terça-feira, 30 de agosto de 2016

Inimigos no Altar - Melanie Milburne

Título Original:
Enemies at the Altar
Copyright © 2012 by Melanie Milburne

Protagonistas:
Andreas Ferrante e Sienna Baker


Sinopse:

Da última vez em que Andreas Ferrante encontrara Sienna Baker, ela ingenuamente achou que poderia seduzi-lo. Embora marcado pelos encantos dela, consequências terríveis atormentavam Andreas. Ter de se casar com ela para garantir sua herança era algo impensável. Siena, por sua vez, se sentia humilhada por ter sido rejeitada por ele no passado. Ser recusada novamente tornaria tudo ainda pior. Ambos teriam muita sorte se conseguissem sobreviver à cerimônia. Mas como existe uma linha tênue entre o amor e o ódio, talvez as centelhas de raiva alimentassem o fogo da paixão na noite de núpcias…




Resenha:

Gostei! Sem dúvidas, gostei deste muito mais do que do primeiro livro da série, que conta a história de Gisele. Adorei o jeito da Sienna. Aquele tipo de mulher que não deixa a peteca cair. Ela pode até estar por baixo, mas faz pose de rainha pronto e acabou. Adorei! Doida pelo Andreas, ele a desprezava e ela fazia a linha também-não-te-quero, somente para não dar o braço a torcer e passar como boba. Essa é das minhas! Ela era sensível e bondosa e se passava por durona na maior parte do tempo. No fim, ela só queria alguém que a amasse, que a amparasse e que dissesse que cuidaria de todos os seus problemas. PS: Eu adorava quando ela o chamava de Rich Boy! Quanto ao Andreas.. então, ele não me cativou. Não me apaixonou. Ele era tão frio e distante, que se tornou frio e distante até para mim, que estava lendo o livro. Nós até notamos que ele já sentia algo por ela, mais que luxúria e tals, mas não me tocou. Ele não me tocou. Outra coisa que também fiquei sem entender: Por que, diabos, a vida da Sienna ia parar nos jornais?! Com quem ela dormia, ou deixava de dormir. Se ela era promíscua ou não. Ela era uma pé-rapada! Não pertencia a nenhuma família importante. Por que os jornais falavam dela??? Coisa estranha! Hahahahaha.. Uma coisa que faltou para mim, foi a descrição da cena onde o pai de Andreas pega Sienna no quarto dele, quando eles eram adolescentes. No livro dá a entender que ela mente para o pai dele, dizendo que ele a seduziu, mas não ficou muito claro. O Andreas a odeia no princípio, principalmente por causa dessas mentiras, então achei que deveria explicado melhor essa parte. Talvez tenha sido coisa da edição. Vai saber. Não é um livro que eu diria que você não deva morrer sem ler. Mas é lível. Dei três estrelinhas!

Sienna é a irmã gêmea de Gisele Carter do livro "Esposa do Escândalo". Considerada promíscua pela sociedade, principalmente depois de ter uma fita de vídeo sua, fazendo sexo, divulgada na rede. Ela era filha da governanta da casa de Andreas e desde nova o desejava. Aos 17 anos ela toma coragem e entra no quarto dele, praticamente nua, para seduzi-lo. Ele a rejeita, porém o pai pega os dois e Sienna mente dizendo que Andreas o seduziu. Isso causa um ódio mútuo que eles alimentam através dos anos, até que o pai de Andreas estipula em seu testamente que eles devem se casar e permanecer casados por 6 meses para terem direito a um parte da herança. A convivência acaba transformando esse ódio, que era uma espécie de desejo contido, em uma explosão de sentimentos e eles descobrirão o amor. Créditos para Sienna. 


**Série Irmãs do Escândalo**

- Escândalo Perfeito - Gisele Carter e Emilio Andreoni

- Inimigos no Altar - Sienna Baker e Andreas Ferrante


Pontos Altos:

"— Falei sério ontem à noite — murmurou ela. — La­mento ter agido do jeito como agi quando eu tinha 17 anos. Entrei em pânico quando seu pai apareceu. Não queria que minha mãe perdesse o emprego. Era a pri­meira vez que eu a via feliz. Eu não queria ser aque­la que estragaria tudo para ela. Não imaginei que as conseqüências seriam tão graves, que você iria embora para nunca mais voltar.
— Houve muitas razões pelas quais, eu não voltei — disse ele, tirando as mãos do rosto de Sienna para acompanhá-la de volta ao Chateau. — Meu pai e eu sem­pre tivemos um relacionamento difícil. Brigávamos por muitas coisas. Ele não queria que eu seguisse minha carreira como designer de móveis. Mas eu queria traba­lhar a fim de atingir o meu sucesso, a minha autonomia, c não apenas herdar o dinheiro da família. Eu queria meu próprio sucesso, e meu pai desprezava isso. Gostava de ter controle, mas eu me recusava a jogar pelas regras dele.
Sienna caminhou ao lado de Andreas, imaginando se ele algum dia a perdoaria por seu comportamento desa­vergonhado. Ela piorara ainda mais o relacionamento tenso que ele tivera com o pai. Arruinara qualquer chan­ce de que pai e filho fizessem as pazes, antes de Guido morrer. Não era de admirar que Andreas a odiasse.
— Eu não sabia que minha mãe estava tão feliz por­que estava tendo um caso com seu pai — murmurou ela após um pequeno silêncio. — Acho que eu teria agido de modo diferente se soubesse disso na época.
Ele parou de andar e virou-se para encará-la, uma expressão amarga no rosto.
— Sua mãe queria subir na vida — acusou ele. — Meu pai era o próximo tíquete-refeição para ela. Até hoje, não entendo por que ele foi tão tolo em se envolver com uma vadia desavergonhada como ela.
— Minha mãe o amava — defendeu Sienna com raiva. — Ele foi o único homem que ela amou na vida. A vida de minha mãe antes disso tinha sido uma sucessão de casos insignificantes. Mas uma vez que ela conheceu seu pai, apaixonou-se profundamente. Ficou devastada quando ele se recusou a reconhecê-la em público. Acho que acreditava quê, depois da morte de sua mãe, Guido se casaria com ela.
A expressão de Andreas foi cínica.
— Tem certeza de que era ele quem sua mãe amava, ou o estilo de vida que ele podia lhe dar?
Sienna o fitou com frieza.
— Eu não espero que entenda como é o amor, pois você é igualzinho ao seu pai nesse sentido. Toma o que quer das pessoas, e não dá nada em troca. Emoção não entra nos relacionamentos. Sua vida é uma série de ne­gociações frias, conduzidas uma após a outra.
— Ah, mas isso não é coisa sua? — perguntou Andreas com um sorriso sardônico. — Você se casou com Brian Littlemore por dinheiro. Casou-se comigo pela mesma razão. Não considera tais atitudes como negociações frias? Você quer dinheiro em troca de seu corpo, mas não entregará seu coração.
— Você quer meu coração, Andreas? — questionou ela com um olhar provocante.
O olhar dele percorreu-a com desejo.
— Eu acho que você sabe o que eu quero. É o que ambos queremos. E, nesta noite, não há nada que nos impeça."


***   


"Alguns dias antes que Sienna viajasse para Roma, a fim de ajudar sua irmã com os preparativos do casa­mento, Andreas entrou no quarto que eles compartilha­vam enquanto Sienna estava arrumando a mala. Ela estivera determinada a aprender com ele e tomar-se mais organizada. Planejara arrumar a mala com antecipação, para não haver correria de última hora. Roupas estavam espalhadas sobre a cama e sapatos pelo chão, mas esta­va tudo sob controle, ou estaria, se Andreas não tivesse chegado em casa mais cedo do que ela esperara.
— Oi — cumprimentou Sienna com um sorriso bri­lhante. — Você chegou mais cedo.
Ele olhou ao redor do quarto.
— Você precisa tirar tudo de dentro do armário cada vez que se veste?
Sienna ergueu o queixo, irritada pelo mau humor dele.
— Eu estou arrumando a mala.
Um músculo saltou ao lado da boca esculpida.
— O quê?
— Estou indo para Roma, lembra? Para o casamento de minha irmã. Eu lhe falei sobre isso, mas parece que você não ouviu. É claro, você vai se quiser. Ninguém o está pressionando. Posso imaginar que ir a um ca­samento de verdade, onde duas pessoas realmente se amam, será uma experiência interessante para você.
— Que diabos isso significa? — perguntou ele.
— Descubra por si mesmo. — Ela passou por ele para pegar uma mala.
Andreas segurou-lhe o pulso e virou-a de frente para si.
— O que deu em você?
— O que deu em mim! — perguntou Sienna. — Foi você quem chegou em casa como um urso com um es­pinho na pata. — Ela empurrou-lhe o peito com a mão livre. — Tire suas mãos de mim.
Os olhos castanhos dele prenderam os de Sienna com intensidade.
— Você quis minhas mãos em você duas vezes ontem à noite e esta manhã — replicou ele. — Senti tremores o dia inteiro, apenas pensando no que você fez comigo no banho.
Ela lhe deu um olhar fulminante para esconder sua excitação interna.
— Bem, eu não as quero em mim agora.
Andreas puxou-a para mais perto, a ereção con­tra seu corpo guerreando com a força de vontade de Sienna.
— Prove — desafiou-o.
— Eu não tenho de provar nada. — Ela tentou empur­rá-lo novamente, mas era como tentar mover um muro de pedra.
Andreas pôs uma das mãos na base da coluna dela, pressionando-a contra seu membro viril.
— Um beijo, e eu a soltarei.
— Tudo bem — concordou Sienna, determinada a mos­trar que era capaz de resistir a ele. Lidaria com o desafio da mesma forma com que lidava com seus pensamentos traidores... Bloqueando-os de sua mente. — Dê tudo de si, Rich Boy.
A boca de Andreas desceu, mas, em vez de cobrir a dela completamente, os lábios sensuais provocaram a lateral de sua boca, acordando cada terminação nervosa de Sienna. Ela tentou lutar contra o desejo de virar a cabeça e beijá-lo propriamente. Fechou os olhos e ten­tou ignorar a resposta automática de seu corpo. Então ele voltou à atenção para a outra lateral de sua boca, a barba por fazer roçando-lhe a pele, enviando fogo para seu centro do prazer.
— Você está roubando — reclamou ela, chocada pela própria voz ofegante.
— Como eu estou roubando? — Andreas moveu a boca para lhe mordiscar o lóbulo.
Sienna tremeu.
— Você disse um beijo, mas nem mesmo me beijou.
— Eu estou indo nessa direção."


***

"Pelo fato de fazer parte do grupo nupcial, Sienna ficou separada de Andreas durante a maior parte da recepção, o que intensificou ainda mais o desejo dele por ela. An­dreas não via a hora de que as formalidades acabassem, de modo que ele pudesse tê-la a seu lado. Seu corpo vibrava com irritação enquanto ela dançava com o pa­drinho, como parte da rotina nupcial de danças. Andreas fechava e abria as mãos debaixo da mesa, enquanto observava os braços do padrinho circularem Sienna e a puxarem para mais perto.
Ciúme era uma nova experiência para ele. Não po­dia se lembrar de já ter sentido tal emoção alguma vez, uma emoção que fazia seu sangue ferver de raiva.
Ele estreitou os olhos. Sienna estava flertando com aquele homem? Ela estava sorrindo lindamente, o cor­po se movendo no ritmo da música lenta, a pélvis ro­çando no corpo do padrinho, enquanto os pés de ambos se entrelaçavam em meio aos passos.
Andreas andou para a pista de dança e colocou uma das mãos firme no ombro do padrinho.
— Eu gostaria de dançar com minha esposa — disse ele.
O homem tirou as mãos de Sienna e deu um passo atrás.
— Claro — murmurou ele com um sorriso fácil. — Ela é uma dançarina fabulosa. Eu sou atrapalhado, mas ela me fez dançar como um profissional.
Andreas cerrou os dentes atrás do sorriso tenso.
— Ela é realmente especialista em executar manobras difíceis.
Sienna o encarou depois que o padrinho saiu.

— O que você pensa que está fazendo? — perguntou ela num sussurro. — Interrompeu uma valsa do grupo nupcial, pelo amor de Deus."




Classificação:











LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...