quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Herdeira do Infortúnio - Sarah Morgan

Título Original:
Bella´s Disgrace
Copyright © 2010 by Harlequin Books S.A.

Protagonistas:
Zafiq Al-Rafid e Bella Balfour

Sinopse:


Domada pelo sheik!

Zafiq Al-Rafid ficou furioso quando sua semana de reclusão foi interrompida pela notícia de que Bella Balfour estava perdida no deserto! Enquanto sua honra exigia que ele a resgatasse, os agradecimentos de Bella foram menos do que ele esperava. Zafiq até considerou deixá-la vagando entre as dunas, mas qual seria a graça? Seu poder era suficiente para domá-la.


Resenha:

Adorei! Adorei! Adorei! Entrou para galeria dos melhores das Noivas Balfour, junto com o livro da Sophie e da Mia. Lindo! Lindo! Lindo! Adoreiiiiii o jeito destemido e abusado da Bella. O modo como enfrentava o Zafiq e fazia piadas sobre a sua posição todo o tempo, sem se importar que ele era o todo-poderoso supremo. Esse jeito dela rende boas risadas.  Em nós, porque ele não achava graça nenhuma. Mas a atração entre os dois é tão forte, que ele não resiste aos encantos dela e se entrega. Adorei também o jeito do Zafiq, que apesar de saber que tinha muitas responsabilidades, tenta lutar contra o que sente por Bella - que diga-se de passagem, era uma cabeça-de-vento, que só pensava em sair nos tabloides e não combina em nada com a posição dele -  mas não consegue. É fofo demais. Super Recomendo!

Bella é uma patricinha, gêmea de Olivia, e mais velha das irmãs Balfour, super fútil, descobre o grande segredo da família, o que gera um escândalo responsável pelo exílio de todas as irmãs. O pai a manda para refletir sobre seu comportamento mimado e egoísta num Spa no Deserto, mas ela não se conforma, já que seu celular, laptop e Ipod foram confiscados e então decide fugir, só não contava com o poder do deserto e é achada quase morta de insolação pelo sheik, que está passando sua semana de descanso no deserto. No início, os dois não se batem, ela é abusada, desaforada e só fala que precisa de um espelho e de um condicionador, mas a atração é forte e os dois se envolvem, transformando Bella em outra pessoa. Mas apesar de mudada, mantem seu jeito sincero e destemido de falar, que faz com que o livro fique massa e deixe Zafiq louco... hahaha.. Só não gostei, porque até agora, acho que foi o único livro que o pai não encontra com uma das filhas, no momento de necessidade.

  *** Série Noivas Balfour ***

7-    Herdeira do Infortúnio- Sarah Morgan
8-    Herdeira do Despertar- Margaret Way


Pontos Altos:



Bella piscou várias vezes e percebeu que olhava para uma lona. Estava em uma tenda. E fazia calor. Um calor sufocante, como se estivesse presa num forno ligado na temperatura máxima. Sua cabeça latejava, sua boca estava ressecada e não tinha a menor ideia do que fazia ali. Vagas lembranças passavam por sua cabeça... Uma voz masculina ordenando que bebesse, mãos que tiravam sua roupa...
 Tiravam sua roupa?
 Se deu conta de que estava só de calcinha e sutiã, e estava prestes a procurar algo para se cobrir quando a tenda foi aberta e um homem entrou. Sem camisa, seus músculos bronzeados brilhavam molhados, como se tivesse mergulhado numa piscina. Usava apenas uma toalha amarrada na cintura.
 Por um instante, ela pensou estar tendo alucinações, pois ele era inconcebivelmente bonito.
 — Ok, talvez eu tenha morrido e esteja no paraíso — Bella disse de modo espirituoso, mas não houve nenhum sorriso como resposta de seu salvador. Olhos escuros como azeviche a avaliaram com arrogância e desdém.
 — Tem um conceito estranho de paraíso. Ou talvez não saiba em que confusão se meteu.
 — Você é meu tipo de confusão. — Sentindo-se fraca e tonta, Bella olhou para seu físico poderoso e começou a rir. — Que engraçado, passei tantas horas em festas esperando encontrar um homem lindo, e ele aparece no deserto.




 — Em todo caso, fui para o deserto e tomei o caminho da cidade. Só que não era o caminho certo. Tudo parece igual por aqui. E então percebi que estava perdida. Se você não chegasse...
 — Estaria morta.
 Sua afirmação direta a fez arrepiar-se.
 — Muito provavelmente. Mais uma vez, obrigada. Tive sorte de ter me encontrado.
 Ele a observou por um longo instante, como se estivesse tomando uma decisão, e então foi até uma bolsa de lona e tirou dela uma túnica. Ao ver que o olhava, estreitou os lábios.
 — Melhor olhar para outro lado.
 — Por que eu iria querer olhar para outro lado? — O lado endiabrado de Bella assumiu o controle, fazendo-a entrar em um território que deveria evitar. — Tem um corpo fantástico.
 Ele se surpreendeu.
 —E você faz um jogo perigoso para uma mulher sozinha e desprotegida. Talvez eu não seja um homem com quem seja bom estar presa, habibiti. — A voz dele tornou-se subitamente macia, e havia um brilho de deboche em seus olhos. Ele passou a túnica pela cabeça num movimento fluido, ao mesmo tempo em que tirou a toalha. — Acho que vocês têm um ditado que diz "escapou da panela e caiu em cima do fogo".
 Bella ficou nervosa ao vê-lo colocar um punhal nas dobras da túnica.
 —É bem verdade que, nas últimas horas, fui assada, frita e flambada. — Mais uma vez sua débil tentativa de humor foi em vão, e ela voltou a deitar-se com a cabeça doendo e a bravura gasta. — Certo, entendi a mensagem. Nada de humor. Mas é de bom-tom pelo menos sorrir quando alguém faz uma piada. — Queria perguntar por que ele precisava de um punhal, mas teve medo da resposta.



 — Por que não me acompanha? — Com a voz falha, ela segurou-lhe o braço e sentiu seu bíceps musculoso.
 Ele era forte. Realmente forte.
 Sem pensar no que fazia, deslizou os dedos devagar por seu braço, fascinada por sua força física.
 Ele respirou entre os dentes e olhou para ela com uma sexualidade crua que a deixou sem ar.
 Ocorreu uma química entre eles, e Bella reagiu com um sorriso feminino.
 Então, ele não era imune.
 Era um incentivo a sua autoconfiança saber que, mesmo sem a ajuda de um cabeleireiro, ainda podia fazer um homem ficar caído por ela.
 Você vai me dar o cavalo de presente em um minuto, pensou aliviada, olhando-o por debaixo dos cílios.
 Era um olhar que nunca falhava. Mesmo sem rímel, estava otimista do que sua costumeira sedução funcionaria.
 —Sei que vai me ajudar — ela disse, decidindo que um machão como ele reagiria melhor a uma abordagem do tipo "fêmea frágil em apuros". Bastava ela tirar vantagem da necessidade dele de sentir-se homem, e flertar a distraía do fato de estar perdida no deserto com um estranho.
 Procurando pela frase certa para incentivar um ego frágil, ela deu um sorriso vacilante.
 —Eu... não sei se consigo sozinha.
 Ele não retribuiu o sorriso.
 —Já resgatei você uma vez, não preciso que me diga que não consegue. Cheguei a essa conclusão sozinho.
 Bella ficou vermelha de raiva. E agora nem poderia responder que em perfeitamente capaz de se cuidar, senão ele não a ajudaria.
 Frustrada, decidiu que era melhor concordar com ele. Os homens gostavam disso, não gostavam? Fazia com que se sentissem inteligentes.
 Ignorando a mulher dentro dela, que queria dar um tapa naquele rosto arrogante, ela levantou seus olhos azuis para ele com uma expressão de desamparo.
 —Tem razão — disse com a voz mais patética que conseguiu. — Não vou conseguir. Sou um desastre. — Bella tentou não pensar que seu pai concordaria com essa afirmação, e aumentou sua imagem de vulnerabilidade batendo os cílios.
 —Parece estar com algum problema nos olhos? É areia. Se for, é melhor lavá-los.
 Bella não conseguiu conter uma gargalhada.
 — Então você tem algum senso de humor sob essa aparência severa.
 — Não estou rindo.
 — Deveria! Faria bem a você! É rabugento demais. Oh, esqueça. Flertar com você é trabalho duro demais — Bella disse irritada, seriamente preocupada em ter perdido seu único talento. — Se não me ajudar, vou sozinha!
 — Transformação interessante. De inocente a independente em um piscar de olhos. É muito manipuladora. E lenta para aprender.
 — Não sou lenta!
 — Mas admite ser manipuladora. Interessante. — O sorriso dele não tinha humor. — O único modo de sair viva desse deserto é acompanhada.
 — Então, me acompanhe — ela disse com doçura, olhando-o por debaixo dos cílios, mas o olhar dele continuava inflexível.
 — É isso que os homens fazem quando os olha assim? Rolam e dizem "sim"?
 —A parte de rolar geralmente vem depois do "sim" — Bella disse levianamente, sentindo-se cada vez mais ansiosa. Ele não reage a mim como os outros reagem.
 — Sua moral é tão suspeita quanto seu julgamento das coisas.



 — Bella diz que isso desenvolve seu envolvimento e poder.
 — Bella diz, Bella diz... — Zafiq virou-se irritado para seu irmão. — O que qualifica Bella Balfour a mudar o treinamento de meus cavalos?
 — Ela sabe muito sobre cavalos! Sabia que foi selecionada para a Equipe Britânica de Eventos aos 16 anos?
 Não, ela nunca mencionara isso.
 — Ela ganhou alguma medalha?
 — Não, porque houve um escândalo e ela acabou sendo desligada da equipe.
 — Isso, sim, se parece com a Bella.
 — É tão duro com ela! — Rachid a defendeu. — Ela teve uma vida difícil... — Ele se calou, como se tivesse falado demais.
 — O que sabe sobre a vida dela?
 — Bastante coisa. Ela conversa muito nos estábulos. Tem os pés no chão e é uma pessoa normal. — E inteligente, Zafiq pensou, contrariado.
 — Está encantado por seus cabelos loiros e olhos azuis, Rachid. Não deixe que isso o cegue para o que ela realmente é.
 — Talvez você esteja cego para quem ela é — Rachid disse calmamente. — É uma garota doce e gentil.
 Zafiq o estudou com atenção, se perguntando o porquê de Rachid subitamente estar mais maduro. Passara de garoto a homem num espaço de poucas semanas. Um calafrio percorreu o corpo de Zafiq ao refletir sobre uma possível explicação para isso.
 Não.
 — Até onde vai sua relação com ela?
Rachid encolheu os ombros.
 — Isso não é da sua conta.
 — Responda a minha pergunta.
 — Ela não está interessada em mim, mas, se estivesse... — Rachid parou de falar, e Zafiq fez um muxoxo de impaciência, tomado por emoções que não se deu ao trabalho de examinar de perto.
 — Não poderia encontrar mulher menos apropriada. Ela é audaciosa, franca, destemida... — Ao ver a expressão espantada de Rachid, Zafiq percebeu que só listara suas qualidades. — E emotiva. Lidar com Bella é como lidar com uma criança: Ela não conhece limites. Não sabe se comportar.
 — É isso que acho reconfortante. — Rachid foi sincero. — Um dos inconvenientes de nossa posição é que as pessoas têm medo de serem elas mesmas conosco, não acha, Zafiq? Bella é sempre ela mesma. Ela diz o que pensa. Não tem medo de desafiar a autoridade se discorda de algo.
 Ao lembrar-se de todos os modos em que ela desafiara sua autoridade, Zafiq resmungou baixo.
 — Chega de falar sobre Bella Balfour!
Era hora de fazer uma visita aos estábulos.





Na penumbra, conseguiu ver que ele era alto e forte, e ficou mais tensa, pois suas chances de defender Amira enfrentando alguém tão musculoso eram remotas. Mudou rapidamente seu plano.  Quando ele esticou a mão até o cavalo, Bella deu um berro.
 — Afaste-se dela... devagar. Sei exatamente quem é e o que quer, e tenho uma arma apontada para você. Afaste-se devagar ou eu atiro.
 — Se sabe quem eu sou e o que quero, por que precisaria de uma arma? E é difícil atirar em alguém com um bastão.
 Ao reconhecer o tom irônico de Zafiq, Bella ficou com as pernas bambas de alívio. Ela largou o bastão e desabou contra a parede.
 — Oh, é você! — Botou a mão no peito, sentindo o coração aos pulos. — Quase me matou de susto!
 — É por isso que segurava um bastão? — Ele virou a lanterna para ela, que virou a cabeça, ofuscada pela luz.
 — Pensei que queriam roubar Amira. — Escorregou até a esteira, vacilante como um potro recém-nascido. — O que faz aqui? Queria me fazer enfartar e acabar comigo de uma vez por todas? — Depois que seus olhos se habituaram à luz, ela se perguntou como não o reconhecera imediatamente, quando cada contorno de seu corpo estava gravado em seu cérebro.
 — Ouvi dizer que estava dormindo no estábulo.
 — Por que isso o incomodaria?
 — A socialite Bella Bafour dormindo em meio ao feno, sem banho quente?
 — Fiquei quatro dias numa tenda com você — ela rebateu, com o corpo ainda trêmulo. — Não foi exatamente uma experiência "cinco estrelas". Onde estão os guardas?
 — Obviamente sabem que não devem prender o sheik.
 — Pensei que tivessem sido subornados, como da última vez.
 — Os guardas de Al-Rafid são totalmente leais a mim. Não podem ser subornados. Do que se trata tudo isso, Bella? — Seu tom era duro e frio. — Acordando cedo todo dia e trabalhando até as mãos sangrarem? Dormindo com minha égua? Parece que seduziu a todos, inclusive meu irmão. Que brincadeira é essa?
 Desconcertada com seu tom agressivo e com a injustiça do que dizia, Bella o encarou.
 — Estou trabalhando, não brincando. Trabalho 14 horas por dia e depois durmo aqui. Acha que estou fazendo sexo com todo mundo dos estábulos, é isso? —Ainda transtornada por pensar que alguém ia roubar Amira, sua voz estava esganiçada. — Acha que o único modo de alguém dizer algo de bom sobre mim é tendo dormido comigo?
 Antes que ela conseguisse se mexer, ele passou para o outro lado do estábulo, segurou-a e pressionou seu corpo contra a parede.
 — Quero saber até onde foi com meu irmão. Rachid é muito jovem e não tem experiência com mulheres como você.
 Exausta, abalada por vê-lo de novo e machucada por sua opinião sobre ela, Bella explodiu.
 — Será que nunca posso ganhar? Tenho dado duro para que ninguém possa reclamar de mim! Não me resta uma unha decente, não lavo os cabelos há uma semana e estou cheia de hematomas de... — Estava prestes a dizer seu garanhão, mas parou a tempo. — Sinceramente, eu não teria energia para fazer sexo mesmo que tivesse oportunidade, então pode levar seu ciúme para outro lugar!
 — Não estou com ciúme. — Ele apertou-lhe os ombros. — E sua conduta é problema seu.
 — Então, por que está com tanta raiva? Se não liga, por que está gritando comigo?
 — Porque Rachid não é capaz de enfrentar uma mulher como você.



— Rachid está meio apaixonado por você.
 — Só meio? — Bella sorriu, entre lágrimas. — Devo estar perdendo o jeito. Talvez precise lavar mais meus cabelos.


Classificação:








2 comentários:

k-rol disse...

olá Lu tudo bem?
tem certeza de que essa história eh boa mesmo? eu deixei esse livrinho de "molho " e quando comecei a ler eu abandonei a até hoje ...
aproveito para perguntar se sua caixa de mensagem está com defeito? e te dizer qu tem um selinho que eu fiz para vc lá no blog
xeru
k-rol

Luciana Miranda disse...

Oi, K-rol!

Td bem??

Entao, eu gostei bastante da história! Dei boas risadas.. gostei mesmo.

Quanto a minha caixa de msgs, eu não sei exatamente.. tenho achado estranho pq nao tenho recebido msgs desde julho.. mas para mim aparece normal..

Como aparece para vcs..

Obrigada pelo selinho...

Bjks!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...